Cafés e Bares

A marmelada branca de Odivelas já está certificada com a Indicação Geográfica Protegida

O doce criado há mais de 700 anos e distingue-se pela cor clara. Junta-se a 154 outros produtos nacionais já certificados.
Tem mais de 700 anos de história.

A famosa marmelada branca de Odivelas já é, oficialmente, uma especialidade com Indicação Geográfica Protegida (IGP), uma distinção atribuída pela Comissão Europeia esta segunda-feira, 19 de setembro. A primeira candidatura feita pela Associação Empresarial de Comércio e Serviços dos Concelhos de Loures e Odivelas, que junta todos os produtores daquela iguaria, foi há oito anos.

Segundo uma nota de imprensa do executivo comunitário, citada pelo “Observador”,

O típico doce é obtido através da cozedura de marmelos descascados. No caso da receita criada pelas freiras do Mosteiro de Odivelas são usados cerca de 350 gramas de puré do fruto para obter um quilo de marmelada. A polpa dos marmelos é depois cozinhada com açúcar branco, água e sumo de limão. Enquanto outras marmeladas apresentam uma cor mais alaranjada, esta tem um tom mais esbranquiçado — que resulta do modo de produção. O segredo está no grau de maturação dos marmelos utilizados na preparação do doce.

A Indicação Geográfica Protegida (IGP) é uma certificação oficial regulamentada pela União Europeia. É atribuída a produtos gastronómicos ou agrícolas que são característicos de determinada região. A marmelada criada em Odivelas há mais de 700 anos junta-se a outros 1.592 produtos alimentares distinguidos com a IGP, entre os quais encontramos 154 portugueses, como a batata doce de Aljezur ou a amêndoa coberta de Moncorvo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT