Cafés e Bares

Do grão à chávena: a nova coffee house de Alcântara só serve café brasileiro

Por ali, tudo se faz com grãos da fazenda da Bagagem, propriedade dos brasileiros Felipe e Adriana Oriolli.
A torrefação é feita no Orioli.

Do grão até à chávena. O velho slogan do café é levado muito a sério na nova coffee house da capital, a Orioli, que serve de montra à produção que Felipe e Adriana Oriolli têm no Brasil.

O brasileiro de 42 anos é um especialista em tudo o que envolve o grão. Além de engenheiro agrónomo, é Q Grader — título dado aos especialistas que avaliam a qualidade do café — e produtor. “Temos uma quinta onde produzimos café desde 2007, o que me deu um contacto com o produto em todas as fases”, explica o empresário que fez nascer o espaço em abril, na zona de Alcântara.

A família mudou-se para Lisboa em 2017, numa tentativa de trazer o seu café ao mercado europeu. E são os grãos da fazenda Bagagem que ali se servem nas chávenas. Chegam ainda verdes, cuidadosamente selecionados para darem origem a café de especialidade.

No laboratório inserido no espaço, fazem a torrefação de pequenos lotes de forma artesanal, que depois vendem para fora ou usam para servir os clientes. Mas além do serviço, o casal também quer ajudar a promover a cultura do café com workshops e formações que se realizam no mesmo local, sempre ao fim de semana.

“Temos a loja há um ano, embora funcionasse mais como sítio para fazer as primeiras torras, como showroom para clientes e degustações”, explicam. Só desde abril é que se abriu aos clientes casuais em busca de uma boa chávena de café. E algo mais.

Para acompanhar os cafés há toda uma montra recheada com cookies (2,3€), brownies (2,4€) e bolos caseiros (3,2€). Já o café serve-se nos formatos do costume, do simples expresso (1,2€) — cujos grãos vão andar em rotação, para exibir os diferentes cafés da Orioli — ao cappuccino (2,7€), ao café de filtro (3€), na Aeropress ou V60, para que nenhuma faceta dos grãos fique por explorar, sejam em doses curtas e concentradas ou mais longas e suaves. Se gostar, pode levar os grãos para casa.

Para quem quer ir ainda mais longe e aprender a degustar e a reconhecer os segredos dos grãos, ao fim de semana, Felipe leciona várias formações e workshops, da introdução ao café de especialidade à análise sensorial e degustação guiada. Pode também iniciar-se no processo da torra de café ou tirar mesmo um curso da Specialty Coffee Association. Os preços começam nos 50€.

Carregue na galeria para ver mais imagens do espaço.

Áudio deste artigo

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua dos Lusíadas 55A
    1300-366 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça a sábado, das 9h às 17h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT