Cafés e Bares

Marie-Thérèse: a Estrada de Benfica encheu-se de doces franceses

O projeto de Filipa Vitorino começou em 2020 com entregas ao domicílio. Dois anos depois, surge o salão de chá — e espumante.
São vários os doces que podem ser pedidos.

Em 2020, quando a NiT deu a conhecer o projeto Marie-Thérèse, a responsável, Filipa Vitorino, já tinha o futuro traçado. “O objetivo é abrir um charmoso salão de chá francês no coração de Lisboa”, contou-nos. Dois anos passaram e o negócio cresceu tal como tinha imaginado. É na Estrada de Benfica que se encontra a loja com as clássicas torres de croquembouche e outras especialidades de pastelaria francesa, tudo muito à base de massa choux.

“No ano passado começámos logo a ver espaços. O objetivo era arrancar com algo só para take-way. No início de janeiro vimos esta loja na Estrada de Benfica e sem conhecermos bem a zona decidimos avançar”, explica Filipa, 32 nos, à NiT.

As torres de croquembouche continuam a ser o destaque da marca. As versões maiores podem ser encomendadas e levantadas na loja, mas também estão à venda versões mais pequenas, com seis (3,60€) ou 12 unidades (3€).

Este doce com nome pomposo é um clássico de grandes banquetes reais da corte francesa. Nos últimos anos ficaram conhecidos em todo o mundo graças ao “MasterChef Austrália”. A típica sobremesa — que no fundo é uma espécie de torre de profiteroles — sempre fora vista como algo de muito complicado de executar. Não é por acaso que aparecia naquele programa australiana quase sempre durante as provas a eliminar.

Filipa poderia muito bem ter participado no programa já é especialista na arte do croquembouche. O negócio da Marie-Thérèse apareceu em 2020 dedicado a este doce com venda e entregas ao domicílio. 

Comecei a frequentar pequenas ações de formação, ainda que nada especializado em croquembouches. Finalmente, em plena fase de confinamento, partimos para a ação com um plano estruturado de ter a primeira loja especializada em croquembouche portuguesa”.

Os primeiros testes que fez saíram bem, mas mais tarde percebeu que teve um pouco sorte de principiante. Através de pesquisas na Internet em blogues de chefes franceses, aprendeu algumas dicas para os preparar da melhor forma. Demorou oito meses até ter a receita afinada. Isto antes de lançar o negócio.

A 2 de abril surge a loja física onde também passou a ser feita toda a produção. “A oferta é diária. Chego todos os dias de manhã, a partir das 11 horas, para fazer tudo fresco e para montar as várias peças com diferentes recheios e coberturas. Depois das 19 horas começo a preparar as fornadas para o dia seguinte.”

Às torres de croquembouche juntam-se outros clássicos feitos com massa choux que estão disponíveis na vitrine. Tem os éclairs (2,20€) e os Paris Brest, que até são apresentados em versões salgadas. É o caso do que junta creme de abacate (4,50€), queijo creme e presunto (4,50€) ou com creme de atum (4,20€).

Tudo isto pode ser acompanhado por um dos sumos de dia (2,40€), que Filipa prepara todas as manhãs, café (0,80€), chás (2,50€) e até flûtes de espumante. “É sempre um bom aliado para este tipo de oferta.”

O espaço da Marie-Thérèse conta apenas com seis lugares, entre a esplanada e o interior. A decoração poderá sofrer pequenas alterações durante as próximas semanas. Em breve, o projeto ficará disponível para encomendas através das principais plataformas de delivery.

“Ver a nossa evolução pode também servir de inspiração para outras pessoas que não se consigam lançar num negócio. É sempre um risco, mas ao verem a nossa história, pode servir de inspiração.”

Carregue na galeria para conhecer os novos cafés de croissants que abriram em Lisboa nos últimos meses.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Estrada de Benfica 261A Lisboa
    1500-071 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 13:00
  • Às: 19:00
  • Fecha domingo e segunda.
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Café

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT