cafés e bares

Masseira: cheira a pão quente artesanal na nova padaria do Porto

Os fornos estão ligados deste o início de outubro na cidade. Ali são preparados pães de batata doce, centeio, mistura ou sementes, tudo com farinhas biológicas.

Há novos pães artesanais no Porto.

A partir das cinco da tarde começa a cheirar a pão quente na Rua Diogo Brandão, no Porto. Desde o início de outubro que é assim, altura em que abriu a Masseira, a nova padaria artesanal da cidade. As fornadas são diárias e com variedades tradicionais, como o pão de mistura, e até mais criativas com bagos de arroz cozido no interior. Todos são feitos com isco, massa mãe ou massa azeda, como quiser, um fermento natural, e com farinhas biológicas.

“Desde 2010 que faço pão em casa. Na altura fazia só para mim, mas vendida também para um restaurante”, explica à NiT Benetida Saavedra, 34 anos, uma das responsáveis pela nova Masseira. Estudou gestão de património, mas nunca chegou a exercer nada na área. “Comecei a fazer pão porque que não gostava de comer qualquer tipo.” Uma amiga incentivou-a começar a vender para um restaurante e mais tarde passou-os também a ter disponíveis no Mercado Porto Belo, no Porto.

“Comecei por vender artigos de cosmética natural com o Hugo Dunkel [do recente Local]. Depois ele disse também para trazer os pães para o mercado.” Nesta altura tinha três fornos domésticos em casa para conseguir fazer em maior quantidade. “Na primeira semana levei, na segunda 20, depois, 30, 40 e 50. Havia dias em que chegava às 15 horas e já não tinha pães.”

Nesta feira que conheceu Adriano Sequeira, 30 anos, atual companheiro com quem em um filho — nasceu em 2017. “O Adriano também já fazia pão e tinha uma associação onde o vendida também. Começámos depois a trabalhar juntos e agora abrimos a Masseira.”

Foi muito por iniciativa do amigo Hugo Dunkel que tudo avançou. “Eu estava grávida e o Hugo só me mandava anúncios de espaços para arrendar na Baixa. Dizia sempre que faltava um projeto assim na cidade.”

O espaço de 80 metros quadrados esteve em obras durante os últimos meses e abriu no início de outubro. A massa azeda é feita apenas com farinha e água. Depois fermenta durante 12 horas e é depois usada nas diferentes massas de pães que depois produtos. Depois, cada uma tem ainda algum tempo de fermentação, que é variável, mas que vai de 8 a 12 horas.

Ali encontra pão de batata doce, centeio, arroz (com os bagos cozidos), trigo com arroz, mistura de trigo e centeio, azeitona e sementes. Custam entre 2,50€ e 3,50€. Para já ainda não têm definidos dias exatos para cada variedade de pão, mas é algo que vão fazer nos próximos tempos, isso e abrir mais cedo — por enquanto só mesmo a partir das 17h30.

Quem manda nisto tudo

Nome: Benetida Saavedra
Idade:34 anos
Prato favorito: açorda de bacalhau
Maior guilty pleasure: dióspiros
Convença-nos a visitar este espaço: “Este é um pão à moda antiga, tradicional, genuíno, como ele era antes.

Carregue na galeria para saber mais sobre a nova Masseira.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Diogo Brandão, 69, 4050-229 Porto
    4050-229  Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 17:30
  • Às: 20:00
  • Fecha domingo e segunda
PREÇO MÉDIO
Menos de 10€
TIPO DE COMIDA
Padaria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT