Cafés e Bares

O chef Dedé estacionou a food truck no irreverente e muito trendy IDB Lisbon

Agne Costa já teve outra carrinha no rooftop do espaço, mas durante o inverno tornou-se complicado — para não dizermos impossível.
Agne Costa tem 39 anos e dois projetos na área.

O conceito das roulottes, que antes víamos nas imediações dos estádios, foi “roubado” e transformado. As carrinhas brancas, sem graça, deram lugar a pequenas food trucks modernas que estacionam em locais instagramáveis por várias temporadas. É o caso da Little Dede.

Agne Costa, de 39 anos, passou os últimos dois verões a trabalhar numa food truck com um pequeno bar que montou no rooftop do IDB Lisbon‒ Innovation & Design Building Lisbon. Servia brunch, snacks e muito petiscos brasileiros — em homenagem à nacionalidade do chef.

O sucesso foi tal, que ninguém queria que ele zarpasse com o Dedé’s do espaço. Na impossibilidade de continuar ao ar livre, o cozinheiro arranjou uma solução: comprar uma roulotte mais pequena e instalar-se no hall do edifício.

O conceito de uma carrinha de comida não podia ser mais apropriado para contar a história do cozinheiro. Agne nasceu no Recife e em 2002 foi desafiado pela mãe, que já vivia em Portugal, para se mudar para o nosso País. Na altura com 17 anos, nem pensou duas vezes. As únicas condições que apresentou eram conseguir praticar surf e fazer um curso de cozinha.

“Cresci neste meio. No Brasil a minha mãe tinha um pequeno bar, em frente à praia e a nossa casa era imediatamente por cima. Sempre sonhei em ter um negócio semelhante”, conta à NiT.

Dedé
Agne Costa tem 39 anos e dois projetos na área.

Com esta meta, assim que chegou a Lisboa matriculou-se na Escola de Turismo e Hotelaria de Peniche. No início dividia-se entre as aulas e as ondas. Quando completou 18 anos começou a trabalhar como cozinheiro no Hotel Farol Design, em Cascais.

Passou depois pelas cozinhas do Palácio Estoril e do Pestana, mas a chegada da crise de 2012, fê-lo repensar os planos. Portugal tinha deixado de ser aliciantes para os jovens. Determinado em ganhar experiência na área, explorar novas técnicas, métodos e culturas emigrou novamente, desta vez para Berlim.

Um ano e meio depois decidiu que estava na altura de mudar novamente e foi para o Quénia. Um par de meses depois viajou para a Finlândia, seguiu-se Austrália e Indonésia. No final de todas as aventuras, em 2016, percebeu que estava na altura de voltar a casa, a Portugal.

Mas não veio de mãos a abanar. Na mala trazia a ideia de um novo negócio, em nome próprio. Encontrou o local que precisava na Lapa e em poucos meses inaugurava o Café Dede’s. “Na altura, o brunch tornava-se tendência e eu já o sabia, porque lá fora já o era”, explica.

O espaço passou ser muito procurado pelos lisboetas que ali vivem ou trabalham. E, na sequência desse sucesso, surgiu a oportunidade, em 2022, de levar o mesmo conceito para o rooftop que seria inaugurado em Moscavide, o IDB. “Fiquei animado, porque era um espaço diferente, inovador que mistura a arte, com a cultura, a música e comida. Tinha tudo aquilo que aprecio no meu dia a dia.”

Em menos de um mês preparou tudo para abrir na altura da inauguração do rooftop do IDB. “Os meses que lá estivemos foram um sucesso. No ano seguinte, quando o bom tempo chegou, fui convidado novamente para abrir o pequeno bar.”

No final do verão, os clientes habituais não queriam perder os pratos do surfista e imploraram ao chef para arranjar uma solução. Esta chegou, em outubro, com a Little Dede.

O brasileiro abriu em novembro, mas esteve em soft opening até ao início de março. “O espaço era muito complexo, então precisámos de abrir aos poucos para perceber toda a logística da própria localização, se o menu anterior funcionaria e adaptar tudo às condições da food truck”, explica à NiT.

Para este novo negócio trouxe as opções que poderiam estar num brunch comum, mas que pode pedir a qualquer hora. A grande maioria dos ingredientes é preparada todos os dias no café e os frescos também chegam diariamente de uma mercearia do bairro com quem Agne tem uma parceria.

Um dos mais pedidos, segundo o chef, é o banana bread (3€). Mas também há tostas de frango com bacon, rúcula e maionese (8€), a granola da casa que chega com iogurte grego e fruta fresca (4€) ou a Salada Cesar com alface, frango, croutons, bacon, queijo parmesão e molho césar (9,50€). E, claro, não faltam os hot dog (5,90€) em pão brioche, recheado com salsicha, batata palha, cebola frita e molho Sriracha e pasteis de nata (0,90€).

Para melhorar a experiência dos clientes, aceita encomendas. “Normalmente, ligam a fazer o pedido de almoço e dizem-nos a que horas vêm levantar. Assim ninguém tem de se preocupar em perder tempo”, explica.

Os pratos foram pensados por Agnes Costa, mas são confecionados pelo Marcos que está sempre na food truck. Por enquanto, pode visitar a Little Dede’s de segunda a sexta-feira, entre as 9 e as 17 horas.

Carregue na galeria para ver mais imagens do Little Dede.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT