Cafés e Bares

O curioso fenómeno dos bares de praia que ardem em Portugal

Nos últimos cinco anos, arderam pelo menos sete fogos em espaços junto ao mar. O mais recente destruiu o Bar do Peixe, no Meco.

Um incêndio que deflagrou durante a tarde desta sexta-feira, 12 de novembro, destruiu o conhecido Bar do Peixe, na praia do Meco. É apenas o mais recente caso de um fenómeno que parece estar a tornar-se cada vez mais comum nas praias portuguesas.

Nos últimos cinco anos registaram-se pelo menos outros seis incêndios de contornos semelhantes. O anterior destruiu um bar na praia do Ouro, em Sesimbra, num fogo que deflagrou a 18 de outubro e que não provocou quaisquer vítimas — mas que destruiu por completo a estrutura.

Cinco meses antes, outro bar era consumido pelas chamas na Costa da Caparica, o Yamba. De acordo com a imprensa, o incêndio teve início durante a noite e provocou o rebentamento de várias botijas de gás. Mais uma vez, o acidente não fez quaisquer vítimas.

O mesmo cenário repete-se um pouco mais a norte e também a sul. Em 2019, foi a vez do bar Old Beach, em São Pedro do Moel, ter sido atingido por um incêndio cujo alerta foi dado logo pela manhã e foi extinto sem quaisquer vitimas a registar.

Nesse mesmo ano, outro bar foi destruído por uma combustão que deflagrou de madrugada. O Bar Amarelo, em Santo Amaro de Oeiras, ardeu quando se encontrava fechado e ficou parcialmente danificado.

Cenário semelhante se verificou num incêndio na praia do Baleal em 2018, que teve lugar novamente de madrugada. Quando os bombeiros chegaram ao Bar do Bruno, aberto desde 1997, já o edifício estava integralmente tomado pelas chamas. 

Novo incêndio ocorreu no Unik Lounge em 2016, na Costa da Caparica, num fogo também deflagrado de madrugada, pelas quatro horas, que não fez vítimas. Curiosamente, o mesmo bar havia sido tomado por outro incêndio em 2003, altura em que se chamava Bar da Ponte.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT