cafés e bares

The Royal Rawness: o café artesanal e o brunch de sempre agora está num novo espaço

A cafetaria de Lisboa mudou-se para o edifício da Bolina. O take-away e as entregas ao domicílio estão garantidas.
É a segunda morada do projeto.

Nos antigos armazéns da Abel Pereira da Fonseca em Marvila, Lisboa, já não cheira a café acabado de torrar. Desde abril de 2019 que era ali que ficava a The Royal Rawness, a coffee shop com torrefação própria e café artesanal. Não se preocupe que este não foi um casos de encerramento definitivo causados pela pandemia. O cheiro a grãos torrados continua, mas está a uns quatro minutos a pé da Praça David Leandro da Silva.

É depois da zona da Fábrica Braço de Prata, na Rua Vale Formoso, que vai encontrar o recente espaço da The Royal Rawness. O projeto abriu nesta morada no início de janeiro, dia 2. As mudanças estão ser feitas desde o final de dezembro. O motivo da saída dos armazéns da Abel Pereira da Fonseca deve-se à venda daquele edifício.

A coffee shop encontrou guarida no tap room da Bolina, a marca de cerveja artesanal. “Este será um espaço provisório enquanto não temos de novo um nosso que será também aqui na zona”, explica à NiT Carina Esteves, 26 anos, a gerente do projeto.

O conceito em nada foi alterado, só houve melhorias e das boas que os grandes fãs de cerveja vão gostar de saber. “Vamos criar vários produtos com a Bolina, com bolos com cerveja, cookies e até cafés com cervejas.”

A máquina de torrefação continua a fazer a torra os grãos verdes, de variedade arábica, que chegam que países como Brasil, Colombia, Guatemala, Ruanda ou da Etiópia.

O menu mantém também as várias propostas de brunch que acompanham bem com um dos cafés de especialidade da The Royal Rawness em versão expresso, V60, mocha, cappuccino, macchiato ou flat white, tanto na versão de origem ou em blend.

Este espaço da Bolina apenas era usado a partir das 17 horas. Com a parceira com a The Royal Rawness passa a funcionar mais cedo, logo com a várias sugestões caseiras que já se serviam no espaço de Marvila. “Temos opções de brunch, comida saudável, vegetariana, alternativas ao leite caseiras e produtos que procuramos serem de produtores biológicos”, continua Carina Esteves.

Mais indicado para as manhãs tem as panquecas com granola, fruta da época e topping (8€), brownie (3,50€), pão da Gleba ou croissants com manteiga e doce (3€), manteiga de amendoim e avelã caseira (3€), ou com presunto e queijo (3,50€), ou a rabanada com banana, caramelo de tâmara e nozes caramelizadas (7€).

O café é obrigatório neste espaço.

Já nos pratos mais compostos pode pedir o The Raw Royal, um pão de centeio com creme de castanha de caju, salmão fumado, alho francês no forno, laranja, espinafres e ovo a baixa temperatura (10€), ou o Holy Sleep, com rosbife, creme de castanha de caju, salda de coentros e hortelã e mostarda dijon com mel (8€).

Em vez do café, que poderá ser complicado resistir pelo cheiro que paira no ar, há vários smoothies, sumos naturais, vinhos e cerveja da Bolina, claro. Depois das 17 horas é o tap room que ganha vida, mas com alguma das propostas da coffee shop a fazerem parte das sugestões.

No interior há lugar para 50 pessoas. Existe ainda um pátio mas que neste momento não está a ser utilizado. Durante o período de confinamento, as propostas do The Royal Rawness podem continuar a ser pedidas em modo de take-away ou delivery através da Uber Eats e da Glovo, que já têm disponível há algum tempo.

No site da marca consegue ainda fazem encomenda de café em saco e também de cervejas da Bolina. Por enquanto, ainda não se sabe quando é que a coffee shop volta a ter um espaço próprio, mas o importante é que continua a servir tudo como antes.

Carregue na galeria para conhecer melhor algumas das sugestões do novo The Royal Rawness.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Vale Formoso, 9, Lisboa
    1950-088 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 09:00
  • Às: 17:00
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Café

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT