Restaurantes

Dos quiosques à Graça: as empanadas argentinas com mão portuguesa invadiram Lisboa

Um casal natural daquele país da América do Sul trouxe a sua marca até à capital, onde já contam com cinco espaços.

Estávamos no início do século XX quando a bisavó de Gaston Costa deixou Olhão para rumar à Argentina. Volvidas duas gerações depois, o empreendedor de 43 anos regressou às origens acompanhado pela mulher, Carolina Cifuentes, e do filho de sete anos.

O casal chegou em plena pandemia e traziam um plano. O objetivo era ambicioso: tornar marca de empanadas que criaram do outro lado do Atlântico num sucesso. O objetivo levou a uma decisão drástica de encerrar todo o negócio que haviam criado oito anos antes na Argentina.

Por cá, abriram a fábrica e o primeiro espaço de venda em take-away no final de 2021, em Campolide, depois de testarem a receita em diversos mercados e feiras de Lisboa. Aos poucos, a receita foi-se naturalmente adaptando ao gosto dos portugueses, por sugestão dos próprios.

“Fizemos algumas trocas nas receitas. Um dos recheios com mais sucesso é a carne com piri-piri, por sugestão de um cliente que comprava muitas empanadas e que nos disse que gostava que tivessem picante”, explica à NiT Carolina Cifuentes, de 41 anos.

A expansão continuou a ritmo apressado. Hoje, a MBQ (Mi Buenos Aires Querido) conta com cinco espaços, quatro deles a funcionar apenas em take-away e, desde junho, a primeira loja de rua, inaugurada na Graça. Mais recente é mesmo o quiosque no CascaiShopping, aberto em dezembro e que se vem juntar aos quiosques no Amoreiras, no Vasco da Gama e o espaço/fábrica em Campolide.

“Começámos no mercado de domingo no LXFactory e ainda hoje estamos lá presentes”, explica. Foi preciso esperar até ao último verão para que a primeira loja de rua nascesse — o primeiro espaço onde os clientes podem consumir ali mesmo as empanadas.

A loja na Graça.

Se os clientes portugueses já estão habituados às empanadas argentinas, o que torna estes exemplares distintos dos restantes? Cifuentes aponta para a massa, que tem “o dedo” da bisavó de Gaston.

“Ela era portuguesa e quando chegou a Buenos Aires, adaptou-se à cultura local, mas a massa que sempre fez não era típica. Tinha um toque secreto, especial, que lhe dá um sabor particular. Sentimos que aquilo que nos distingue é isso: a massa que tem herança portuguesa”, explica.

Depois entram em cena os recheios. O bestseller é o Argentina, que combina vitela, cebola, pimento vermelho, azeitonas e ovo; embora o Carne com Piri-Piri se mantenha no lote dos favoritos dos portugueses.

Pode ainda provar a Carne Doce com vitela, cebola caramelizada e sultanas; a Burguer, com vitela, cebola grelhada, bacon e queijo cheddar; a Cogumelo e Queijo; a Caprese com mozzarella, tomate e manjericão; a Maçã, com maçã e queijo Roquefort; e por fim a Vegana, com beringela, cogumelos e orégãos. Cada empanada tem um custo de 2,5€, mas se preferir, pode levar uma caixa com cinco empanadas por 10€.

Pela loja da Graça, a funcionar desde junho, pode também acompanhar as empanadas com a típica cerveja argentina Quilmes ou com uma garrafa de tinto argentino. E, por fim, para rematar a refeição, há alfajores, as pequenas bolachas com doce de leite de raízes argentinas.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Graça, 67B
    1170-168 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das 10h às 21h
PREÇO MÉDIO
?

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT