Gourmet e Vinhos

A Black Sheep está maior e nunca esteve melhor. Agora é também um wine bar

A garrafeira era ponto de paragem na Praça das Flores. A antiga funcionário acabou por comprar o espaço e ampliou o conceito.
Tem um wine bar.

Bruna Aguiar e o marido, Lucas Ferreira, saíram do Brasil com uma missão: aprender tudo sobre vinhos. Rumaram a Londres, onde tiraram os cursos de sommelier.  Decorridos três anos, com a chegada do Brexit, decidiram abandonar o Reino Unido. Optaram por rumar ao nosso País, conhecido por ter uma “cultura vinícola muito rica”.

“Portugal tem vinhos soberbos. Decidimos mudar-nos em 2019 e quando cheguei, o objetivo era fazer outro curso. Acabei por começar a trabalhar na garrafeira Black Sheep, que na altura pertencia a um norte-americano que vivia em Lisboa, o Brian Patterson. Adorava o que fazia. Em 2020, com a chegada da pandemia, o proprietário decidiu reformar-se e vender o espaço. E nós ficámos com ele”, conta à NiT a brasileira de 37 anos.

Na altura, era apenas uma pequena garrafeira, com vinhos nacionais e internacionais. Porém, Bruna e o marido tinham outros planos. Fizeram algumas obras iniciais para conseguirem albergar mais referências e, em 2023, conseguiram ampliar o espaço: compraram a loja do lado e criaram um wine bar. O novo conceito da Black Sheep foi inaugurado oficialmente no final de fevereiro de 2024.

Agora, quem passa pela Praça das Flores reconhece a fachada da antiga garrafeira, mas percebe que está mais ampla. Quem ali entra, tanto pode fazer uma prova de vinho espontânea como assistir calmamente a um workshop com um produtor.

Algumas das referências expostas.

“A parte nova permite-nos organizar mais eventos. Conseguimos trazer, pelo menos, um produtor por mês. É uma maneira de fomentar o conhecimento do vinho, como tanto queríamos.” Sobre o conceito da nova Black Sheep, Bruna Aguiar descreve-o como um híbrido entre bar e garrafeira. “Não temos carta ou menu, conversámos com os clientes e sugerimos a prova de certos vinhos, consoante o gosto de cada um”, diz.

O lema do espaço é tudo o que um aventureiro apaixonado por vinhos quer ouvir. “Acima de tudo, aqui podem encontrar vinhos de pequenos produtores nacionais e internacionais, praticamente desconhecidos. Por isso, também gostamos de contar a história de cada um (e de cada garrafa em particular) porque acabamos por conhecer todos os produtores pessoalmente”, adianta.

O processo de curadoria das referências, seja para a garrafeira ou para o bar, é a tarefa favorita de Bruna. “Normalmente, vamos às provas de vinhos com um objetivo definido: procurar algo que vá ao encontro do gosto do nosso nicho de clientes. Só temos rótulos que fazem sentido no nosso espaço e garantimos que as conhecemos a todas detalhadamente.”

Entre as mais 100 referências da garrafeira há vinhos de pequenas produções e também edições limitadas, que expressam o terroir onde foram produzidos. Os preços a copo começam nos 6€ e podem ir até aos 18€. Se quiser beber apenas meio copo, os valores descem 1€ por prova.

Se não sabe por onde começar, Bruna Aguiar deixa uma sugestão: a Tubarão, uma curiosa garrafa de uma série muito limitada produzida por Ricardo Garrido, na Póvoa de Varzim.

O novo espaço recebe um produtor por mês.

“Trata-se de um Pet-Nat e é um dos vinhos mais procurados na Black Sheep. O produtor lança-o normalmente entre março e abril. Bebe-se no verão, depois acaba. Por ser tão raro acaba por ser o nosso vinho mais procurado.” Uma garrafa no wine bar custa 36€ e na garrafeira 15€.

De uma região, mais a sul, na Bairrada, é produzida a segunda sugestão da empreendedora, o Solero de Filipa Pato. Um espumante de método tradicional português “valioso”, resultado de um lote de sete bases com espumantes de colheitas distintas. Custa 148€.

Os vinhos são os protagonistas, mas há mais para provar — pelo menos ao sábado. Para aconchegar o álcool no estômago, desde o início de março que têm uma micro padaria, em parceria com a Meassaia. Há pão caseiro, molhos e compotas para acompanhar. Nos restantes dias da semana o casal permite a entrada de snacks dos espaços vizinhos.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Praça das Flores 62
    1200-192 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça a domingo das 18h às 23h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Garrafeira, Wine Bar

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT