Gourmet e Vinhos

Três amigas juntaram-se para criar uma marca de poncha pronta a beber

Filipa e Lucinda são naturais da Madeira. Leah é americana. O gosto pela bebida levou-as a criar a BisBis.
São quatro as variedades que estão disponíveis.

Sempre que ia a festas ou recebia amigos em casa, Filipa Valente ficava encarregue da bebida. Nada de vinhos ou sumos. É natural da Madeira e levava sempre um produto típico da terra natal: a poncha. Fazia a bebida de forma tradicional com aguardente de cana e era sempre um sucesso. Sempre quis ter um projeto próprio e viu neste cocktail uma oportunidade de negócio.

Desta forma, começou a ser criada a BisBis. Filipa juntou-se a outras duas amigas no projeto: Lucinda Castro, 42 anos, também madeirense e que conhece desde os 15 anos; e Leah Johns, 41, a americana quer provou a poncha num dos tais encontros.

“Sou engenheira civil, mas sempre quis ter um projeto meu e de experimentar coisas novas. Sou muito ligada à Madeira e pensei que tinha de ser algo que tivesse a ver com a ilha. A poncha sempre foi um sucesso quando levava e a ideia começou a ganhar força”, explica Filipa à NiT.

É numa loja em Campo de Ourique, em Lisboa, que é feita toda a produção da BisBis. Em setembro, o objetivo é que abra uma loja público para a venda de garrafas, levantamento de encomendas e até prova de algum copo.

“Todos os ingredientes que usamos são nacionais. A aguardente de cana vem de barco de um dos mais antigos engenhos da Madeira. O mel é de uma produção familiar do Alentejo. Depois usamos sempre sumos frescos.”

Na BisBis não é feito qualquer stock da bebida. Sempre que recebem a encomenda, a poncha é preparada no momento. “É tudo natural, sem corantes ou conservantes, uma bebida mais autêntica e com ligação às origens.” Deve, portanto, ser consumida logo no próprio dia ou nos seguintes.

A poncha é feita de forma artesanal em Campo de Ourique.

A poncha é vendida em garrafas de meio litro ou um litro e tem um preço a partir dos 15€. São quatro as versões que pode encomendar na Bisbis. Há a tradicional, com laranja e limão; a pescador, de limão; a de maracujá, com laranja, limão e maracujá; e a de frutos vermelhos, com laranja, limão e frutos vermelhos.

As encomendas podem ser feitas por mensagem privada no Instagram ou até por WhatsApp através do número 935 801 868. Com a loja em Campo de Ourique ainda fechada, pode ser combinado um sítio no bairro para levantar a encomenda ou noutra zona a combinar entre o cliente e as responsáveis.

“O nome [Bisbis] veio de um pássaro endémico da Madeira. Já o nosso logotipo foi criado por uma designer madeirense, a Rosa La Peligrosa, com base neste animal.” Pode vê-lo em qualquer uma das garrafas de vidro da BisBis.

Neste momento a bebida já está em destaque num bar em Lisboa, a Ressaca Tropical. “É um dos cocktails da casa.” Estão a negociar com outros espaços para que conseguiam expandir a venda da bebida.

“Depois da abertura da loja, espero que o projeto cresça ainda mais, tem potencial para isso uma vez que que temos recebido tantos comentários positivos, por ser um conceito diferente.”

Carregue na galeria para conhecer os novos bares de Lisboa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT