Gourmet e Vinhos

Continente, Pingo Doce, Auchan e E. Leclerc multados em mais de 132 milhões de euros

As coimas foram aplicadas pela Autoridade da Concorrência, que denuncia um esquema de fixação de preços em conjunto com a Unilever.
Os supermercados voltaram a ser multados.

A Autoridade da Concorrência voltou a multar supermercados devido a práticas de fixação de preços. Em causa estão as retalhistas Continente, Pingo Doce, Auchan e E. Leclerc que terão combinado preços com um fornecedor em específico, a Unilever. No total, o valor das coimas devidas é superior a 132 milhões de euros.

Segundo a Autoridade da Concorrência, as cadeias de distribuição e a multinacional — uma das maiores empresas de consumo do mundo, com cerca de 400 marcas no seu portfólio — “asseguram o alinhamento dos preços de retalho nos seus supermercados, numa conspiração equivalente a um cartel, conhecido na terminologia do direito da concorrência como hub-and-spoke”, explica o comunicado publicado do site da autoridade.

“Tal prática elimina a concorrência, privando os consumidores da opção de melhores preços, mas assegurando melhores níveis de rentabilidade para toda a cadeia de distribuição, incluindo fornecedor e cadeias de supermercados”, continua a nota.

No documento é ainda revelado o valor que cada uma das retalhistas terá de pagar. A maior coima foi imposta ao Continente, da Sonae — mais de 50 milhões de euros. Segue-se o Pingo Doce da Jerónimo Martins, que terá de pagar 35 milhões; a Unilever 26 milhões; a Auchan 16 milhões, e por fim o E. Leclerc, com quase 3 milhões.

A Autoridade da Concorrência explica ainda que a prática se estendeu por quase 10 anos, entre 2007 e 2017. Durante este período, o preço de vários artigos, como gelados, molhos, chás, detergentes ou desodorizantes foram acertados entre as empresas.

“As decisões condenatórias emitidas entre 2020 e 2022 resultaram num montante total de coimas que se eleva a mais de 645 milhões de euros”, explica ainda a Autoridade da Concorrência.

A Auchan e o Pingo Doce já anunciaram que vão recorrer e impugnar estas multas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT