gourmet e vinhos

Uma pandemia depois, Corona é a marca de cerveja mais valiosa do mundo

Apesar das perdas de 1,6 mil milhões de euros, por causa do nome semelhante ao coronavírus, a cadeia manteve-se no topo do pódio.

O último ano não foi fácil para o mercado das cervejas em todo o mundo, com as quebras das vendas a chegarem aos 16 por cento entre as marcas mais famosas. A Corona foi uma das que mais perderam. Neste caso, um total de 1,6 mil milhões de euros, sobretudo por causa das semelhanças fonéticas com o coronavírus. Ainda assim, manteve-se como a marca de cerveja mais valiosa do planeta..

A conclusão é de um estudo realizado pela Brand Finance, uma consultora que avalia marcas líderes globais. No relatório anual sobre cervejas, a Corona aparece na primeira posição. Segundo o site norte-americano “Food&Wine”, esta avaliação da consultora não refere apenas as vendas conseguidas, mas sim a reputação da marca face aos ganhos alcançados.

O relatório da Brand Finance revela que é a cerveja mais vendida nos Estados Unidos e que está presente em mais de 120 países. Para este primeiro lugar contribuiu também o crescimento rápido do rótulo no Reino Unidos ao longo do último ano.

“A pandemia, sem dúvida, forçou mudanças nas marcas de cerveja do mundo, que trabalharam em mudanças significativas no estilo de vida dos consumidores provocadas pelas limitações na interação social”, explicou Richard Haigh, diretor administrativo da Brand Finance.

O top 10 é fechado com a Heineken, Budweiser, Victoria, Bud Light, Snow, Modelo Especial, Kirin, Miller Lite e Asahi. O relatório refere ainda a Michelob, a marca de cerveja que teve o maior salto na tabela mundial: passou da 21.ª posição para a 13.ª em apenas um ano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT