Gourmet e Vinhos

Detetada bactéria resistente a antibióticos em carne de porco à venda em supermercados

A investigação analisou amostras à venda em vários supermercados do Reino Unido e 13 das 103 amostras estavam contaminadas.
A carne de porco está a ver alvo de investigação no país.

É a mais recente preocupação de saúde pública no Reino Unido. Uma investigação encontrou uma superbactéria na carne de porco à venda em supermercados britânicos. Perto de 10 por cento das amostras recolhidas estavam contaminadas com uma bactéria que se revela resistente aos antibióticos que são usados habitualmente para combater infeções bacterianas graves.

Segundo o jornal “The Guardian”, em causa estão diversos produtos de carne picada e costeletas que possuíam selo de qualidade. Em causa está uma variante da bactéria enterococos, que causam infeções urinárias, entre outras doenças conhecidas.

Em casos mais graves pode mesmo afetar a corrente sanguínea e chegar ao coração e ao cérebro. Esta investigação foi realizada pela Fera Science feito a pedido da World Animal Protection. Apenas o  Bureau of Investigative Journalism e o “The Guardian” tiveram acesso aos resultados.

Já em 2018 tinha sido feita uma investigação idêntica no país. Na altura, esta bactéria foi descoberta numa em cada 100 amostras. Nestes últimos testes foi detetado um aumento significativo da contaminação das amostras — a bactéria foi detetada em 13 das 103 amostras.

“Estas descobertas sugerem que o uso de antibióticos não está sob controlo na indústria da carne.  A compra de qualquer alimento é baseada numa relação de confiança. Nenhum consumidor tem raios X para ver o que essas investigações mostram”, explicou Tim Lang, professor de política alimentar da Universidade de Londres.

Apesar dos resultados desde estudo, a indústria de produção de carne britânica afirma que tem vindo a reduzir o recurso a antibióticos. O perigo para a saúde pública é uma realidade, mas existem formas de minimizar os efeitos do mesmo. Guardar a carne separadamente no frigorífico e lavar bem as mãos, as facas e as tábuas depois de a manusear são algumas das formas de o conseguir.

Até ao momento não foram relatados casos de infeções com esta superbactéria deteta na carne de porco dos supermercados no Reino Unido.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT