Gourmet e Vinhos

Diogo Novais Pereira é o Chef do Ano e brilha na cozinha do restaurante da família

O profissional de 33 anos venceu a 35.ª edição da competição que desafia cozinheiros profissionais a mostrarem o seu trabalho.
Tem 33 anos.

Diogo Novais Pereira foi considerado o Chef do Ano pela maior e mais antiga competição dedicada à cozinha para profissionais. A final teve lugar esta quarta-feira, 22 de maio, no Centro Multiusos de Lamego.

O vencedor conquistou o júri com uma sopa de pescada, como entrada, um canelone de repolho e arroz de forno de cogumelos, como sugestão de prato vegetariano e uma jardineira de vitela e vazia de vaca como prato de carne. A sobremesa escolhida foi tarte de maçã assada de Alcobaça.

“Ganhar é uma emoção muito grande. Ver o meu trabalho reconhecido é incrível, afinal este era um objetivo pessoal e profissional. Desde que comecei a estudar que acompanho o concurso e agora chegar a vencedor é inexplicável. Fiz um menu com produtos que adoro e com os quais trabalho diariamente — tudo o que fiz foi tentar respeitá-los ao máximo”, explicou o chef de 33 anos.

Começou por estagiar no DOP, no Porto, e no El Club Allard, em Madrid. De regresso a Portugal, David assumiu a chefia do restaurante Casa Torta, em Guimarães. Em 2015 mudou-se para o restaurante Oficina, no Porto. Quatro anos depois, em 2019, tornou-se chef executivo do My Story Hotel Rossio, em Lisboa. Em 2022 voltou a casa, em Fafe, para orientar a cozinha do restaurante dos pais, o Porinhos.

A avaliar a prova final estiveram os chefs António Boia (JNcQUOI Avenida e presidente dp júri), Luís Gaspar (Sala de Corte e Chef do Ano 2017), Louis Anjos (Al Sud e Chef do Ano 2012), António Loureiro (A Cozinha e Chef do Ano 2014), Andreia Moutinho (EHT Porto), Paulo Pinto (ACPP) e Jeferson Dias (Al Sud e vencedor da edição anterior do concurso), como jurado observador.

O desafio foi dirigido a todos os profissionais residentes em Portugal, com mais de 25 anos, ou mais de cinco anos de experiência profissional comprovada. Os concorrentes tiveram de apresentar um menu composto por uma entrada de peixe ou marisco, prato vegetariano, opção de carne e sobremesa com maçã de Alcobaça. Em todos os pratos foi obrigatória a utilização de limão.

Ao longo das últimas 35 edições, o título de Chef do Ano já foi atribuído a nomes como Vítor Matos do restaurante portuense com duas estrelas Michelin, Antiqvvm; António Loureiro, do restaurante com uma estrela Michelin, A Cozinha; Henrique Sá Pessoa, do restaurante com duas estrelas Michelin, Alma; João Rodrigues, responsável pelo Canalha e o Projeto Matéria; Luís Gaspar, responsável por Sala de Corte, Brilhante e Pica-Pau; Ana Magalhães e mais recentemente, Jeferson Dias, do Palmares Ocean & Living Resort.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT