Gourmet e Vinhos

Está decidido: o travesseiro é o melhor bolo de Sintra (garantem os leitores da NiT)

A batalha contra a queijada prometia ser renhida, mas o folhado de creme de ovo e amêndoa arrecadou com 60 por cento dos votos.

Guerras de travesseiros costumam acabar com penas espalhadas pelo ar, mas estes eram de outra espécie: de trincar e chorar por mais. Esta é certamente a opinião dos leitores que participaram na votação que opunha estes bolos às queijadas. Os resultados não deixam dúvidas: os fãs do travesseiro bateram a malta das queijadas.

Contas feitas, o travesseiro teve 58,76 por cento dos votos e a queijada arrecadou 41,24 por cento. Com uma diferença de quase 20 por cento nas preferências dos leitores, a vitória é declarada sem qualquer margem para uma eventual recontagem.

Há uma semana, a NiT perguntou qual dos dois doces de Sintra era melhor. E lembrámos que, na icónica vila rodeada pela serra, o travesseiro está mais ligado a uma pastelaria, A Piriquita, fundada em 1862.

Amaro dos Santos e a mulher, Constância Gomes, iniciaram o negócio em formato de padaria. A história contada no site oficial da marca, com pormenores quiçá mais lendários que rigorosos, revela que o nome piriquita terá nascido da alcunha usada pelo rei D. Carlos para se referir à dona da loja, que seria de baixa estatura.

Segundo a narrativa oficial, o monarca encorajou também o casal a confecionar queijadas, doce que não dispensava nas férias de verão em Sintra. O sucesso levou à reconversão da padaria em pastelaria. Contudo, o êxito maior, que lhe daria a reputação que ainda mantém, surgiria mais tarde, já na década de 1940: o travesseiro da Piriquita.

Enquanto a Europa enfrentava os horrores da Segunda Guerra Mundial, em Sintra, a filha dos fundadores dedicava-se a atividades mais pacíficas. Nessa altura, descobriu a receita dos travesseiros e resolveu criar a sua versão do bolo folhado, acrescentando-lhe um ingrediente secreto.

A aceitação da clientela foi imediata, num frenesim crescente que em muito superou a procura pelas queijadas. Em pouco tempo, Piriquita tornou-se sinónimo de travesseiros. As romarias à casa centenária continuam até hoje, desembocando em longas filas de turistas ansiosos por provar o famoso bolo.

A receita do bolo é simples – massa folhada com recheio de creme de ovo e amêndoa –, mas é o ingrediente secreto da pastelaria sintrense que lhe dá outra dimensão. E se a queijada assim se chama por ter queijo como ingrediente, já o rival recebeu o nome por ter a forma de – surpresa, surpresa – um travesseiro.

Se participou na votação e gostou do resultado, parabéns, é hora de celebrar. Se pertence ao grupo perdedor, o melhor é tratar de esquecer a mágoa com o estímulo adequado. O plano a seguir aplica-se aos defensores dos dois lados da barricada: rumem a Sintra em busca do vosso bolo favorito.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT