Gourmet e Vinhos

Está escolhido: este é o melhor vinho do mundo para acompanhar as francesinhas

A eleição reuniu alguns dos melhores chefs do Porto numa prova cega com vinhos representativos de quatro regiões do País.
Tome nota.

Os principais chefs decidiram, por isso não há qualquer dúvida sobre o vencedor: já se sabe qual é o melhor vinho para acompanhar as francesinhas. A escolha foi feita esta quinta-feira, 26 de agosto, num evento no rooftop especial realizado no Porto Coliseum Hotel.

A importância desta decisão conseguiu juntar os autores das receitas dos restaurantes que fazem francesinhas há vários anos — como o Cufra Grill, o Majára, o Santa Francesinha, o Alicantina, o Lado B, o Dickens e o Alfândega D’ouro — bem como o dono d’O Gaveto. Foi um momento histórico na gastronomia portuense.

“Achámos que deveríamos procurar o vinho adequado para acompanhar a francesinha, uma vez que há muita gente que não gosta de cerveja, e sendo a francesinha responsável por grande parte do produto interno bruto do Porto e da zona norte do País, achámos que podia ser interessante conciliar as duas coisas”, explica à New in Porto Francisco Freixinho, que organizou este evento. E acrescentou “Isto é a escolha dos chefs, das pessoas que criaram os molhos, que têm todo o segredo do que fizeram e sabem qual o melhor vinho para acompanhar a francesinha”.

À chegada, por volta das 16 horas, os chefs tinham à sua espera quatro copos onde seriam servidos os vinhos da prova cega e uma folha onde deveriam anotar a sua classificação, atribuindo quatro pontos ao vinho que mais gostaram e daí a descer até um ponto para o vinho menos apreciado. Antes de dar início à prova, Pedro Martin,  o antigo sommelier de Ljubomir Stanisic e responsável pela produtora de vinhos Martin Boutique Wines, explicou como o concurso iria decorrer.

Antes desta prova, o especialista tinha já feito uma pré-seleção com aqueles que considerava serem os melhores vinhos para acompanhar a francesinha. À mesa dos chefs chegaram opções da região do Alentejo, dos Vinhos Verdes, do Douro e de Lisboa. O objetivo das quatro garrafas era “apresentar um perfil fresco e que renovasse o paladar a cada garfada sem destruir os sabores da francesinha”.

Os chefs durante a prova.

“Se pensarmos na francesinha como a melhor sandes do mundo e se a formos juntar com um possível melhor vinho para harmonizar com essa melhor sandes, acho que estamos a mexer em algo que pode ser bastante interessante para o futuro”, defende o sommelier.

Depois de provarem os vinhos finalistas, os chefs elegeram como o mais adequado para a francesinha o vinho da Região dos Vinhos Verdes. Esta é uma produção própria — como as restantes — que combina azal, loureiro e alvarinho. Em segundo lugar nas preferências ficou o vinho da região de Lisboa, seguido do Douro. O menos votado foi o vinho do Alentejo.

A escolha vai ao encontro daquilo que Pedro Martin imaginara que seria o resultado: “A francesinha tem uma alma muito própria, várias carnes, um queijo derretido e um molho muito denso que se torna envolvente na prova, o formato, o tempo que se demora a comê-la”.

Apesar de o mais comum ser acompanhar a francesinha com cerveja, parece que a ideia de combiná-la com vinho agradou especialmente aos nossos maiores chefs das francescinhas.

“Já nos fazia falta, além da cerveja, termos outra bebida que ligasse bem com a francesinha, que é o caso deste vinho. É fresco, frutado, um bocadinho gaseificado que contrasta com o paladar quente da francesinha, na minha opinião”, afirma Manuel Costa Almeida, do restaurante Cufra Grill.

Uma opinião semelhante tem João Oliveira, do Dickens: “Tinha que ser um vinho equilibrado, não muito forte em termos de sabores porque a própria francesinha, com o molho e as nossas iguarias, já se torna um bocadinho forte. Sendo um vinho mais equilibrado, como este que escolhemos, liga perfeitamente e dá-lhe um corte suave no paladar”.

No final, os chefs tiveram ainda a oportunidade de beber novamente o vinho vencedor enquanto comiam uma francesinha. “O vinho que foi escolhido é um casamento perfeito porque casa muito bem com a francesinha, que tem um grande nome no País e é preciso defendê-la”, acrescenta o proprietário do Porto Coliseum Hotel, Manuel Pinheiro.

O grande vencedor vai chamar-se, como seria de esperar, Vinho da Francesinha e irá começar a ser vendido nestes e noutros restaurantes do Porto e do resto do País já no mês de setembro. Por isso, já sabe: da próxima vez, peça a francesinha, mas deixe a cerveja de lado.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT