Gourmet e Vinhos

Foi criado um “mapa da cerveja” para ajudar os adeptos a encontrarem álcool no Catar

A proibição da venda de bebidas alcoólicas é apenas um dos temas polémicos deste Mundial. O projeto tornou-se viral numa semana.
É bastante utilizada pelos adeptos.

Nos últimos tempos, milhares de adeptos viajaram até ao Médio Oriente para participar no Mundial do Catar. No entanto, desde a delicada questão dos direitos humanos no país, às mortes de migrantes e condições de trabalho deploráveis, passando pelo processo de seleção recheado de indícios de corrupção e artistas a negarem-se a atuar nos espetáculos, o percurso da organização do Mundial pelo Catar tem sido mirabolante.

As polémicas não têm faltado e uma das que causou mais indignação aos visitantes foi a proibição da venda de cerveja nos estádios, na sequência de um pedido da família real. A medida foi entretanto levantada, tornando-se possível beber nas zonas dedicadas aos fãs, hotéis, restaurantes e fan zones anexas às vilas. Ainda assim, o álcool nas vilas continuou proibido.

Para muitos, porém, cerveja e futebol são indissociáveis e encontrar locais onde o consumo é permitido continua a ser difícil. Como forma de ajudar quem não dispensa a bebida, um adepto norte-americano criou, através do Google Maps, um “mapa de cerveja” onde estão assinalados todos os pontos de venda no Catar.

Ed Ball, um engenheiro aeroespacial e adepto da seleção dos Estados Unidos, passou cerca de 100 horas a desenvolver o projeto apenas para si. Porém, o mapa começou a ganhar visibilidade, e sete dias após de ter sido lançado publicamente, conta já com mais de 500 mil visitas.

Vale notar que, no Catar, um país muçulmano e conservador, o consumo de álcool é bastante restrito, pelo que a cerveja apenas pode ser consumida em alguns hotéis da capital, Doha. Apesar do aliviar das restrições no decorrer da prova maior do futebol, o álcool continua a não ser vendido em supermercados. Os preços praticados também não são os mais convidativos, com o litro de cerveja a poder chegar aos 13€.

O assunto torna-se ainda mais complicado uma vez que a marca de cerveja norte-americana Budweiser é uma das maiores patrocinadoras da FIFA, tendo investido cerca de 75 milhões de dólares (cerca de 72 milhões de euros no câmbio atual) para patrocinar o Campeonato do Mundo. A decisão poderá criar um problema financeiro à organização, já que a empresa norte-americana poderá exigir uma indemnização milionária.

Além do acesso restrito à cerveja, esta que é considerada a maior festa do futebol, está a ser alvo de várias outras reclamações por parte dos adeptos. As mais recentes são as tendas sem condições — minúsculas, praticamente vazias à exceção de um par de camas e de uma mesinha de cabeceira, e situadas num mar de outras exatamente iguais e difíceis de distinguir — e a comida duvidosa. Leia o artigo para saber mais sobre o tema.

Assinala vários pontos de venda.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT