Gourmet e Vinhos

Há um parque temático sobre Gin no Alentejo — e tem atrações para todas as idades

Os adultos podem aprender a melhor forma de fazer um gin tónico em casa ou provar os cocktails. Os miúdos podem andar em garrafas gigantes.
Para descobrir.

Podia ser mentira, mas não é. Muitos de nós provavelmente já pensaram nisto enquanto bebiam um copo de gin numa esplanada com amigos ou mesmo em casa. Miguel Nunes tornou este pensamento numa realidade, criando assim a Vila do Gin, um parque temático onde a estrela é, claro, o gin.

Localizado em Vila Nova de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, o parque já atrai milhares de pessoas todos os fins de semana, embora ainda não tenha sido oficialmente inaugurado.

A Vila do Gin abrange outro dos projetos do criador: uma destilaria. “A questão do projeto do parque temático assentou obviamente porque a nossa destilaria está inserida numa herdade de 15 hectares”, diz Miguel Nunes em conversa com a NiT.

O parque temática é ideal para todos os amantes de gin, desde a sua criação até à altura em que o bebem. Uma das ofertas é o Trilho do Gin, onde os participantes são levados numa rota de 2,5 quilómetros ao longo da herdade, que é inserida no meio do Montado alentejano. Pelo caminho, encontram “os botânicos que estão na génese do gin”. Para os menos entendidos do assunto, são os botânicos que proporcionam os diferentes aromas da bebida.

A destilaria.

Na Vila do Gin também é possível fazer-se uma visita guiada pela destilaria da Black Pig, a produtora de Miguel Nunes, já galardoada internacionalmente: “O ano passado fomos vencedores da medalha de ouro no World Gin Awards, o campeonato do mundo”, orgulha-se. Ali, podemos descobrir todo o processo do gin até chegar às garrafas.

Muitas das atrações da Vila do Gin já estavam na enorme propriedade aquando da sua criação. A quinta pedagógica, por exemplo, tem sido um sucesso entre os miúdos. Ao contrário de muitas outras, esta não restringe os animais a um espaço confinado. “Todo o trilho está envolto numa quinta pedagógica — que é mais um parque de conservação da natureza — onde temos um conjunto de espécies autóctones portuguesas e algumas espécies cinegéticas, como os veados. Durante o trilho, as pessoas podem entrar em contacto com todos estes animais”, explica. “É uma interação excelente que temos entre pessoas e animais”, continua.

A parte favorita das crianças é, no entanto, o Gin Safari. É bastante semelhante ao Trilho do Gin, mas com uma diferença: o meio de transporte. Naquela atração, os miúdos e os adultos descobrem os botânicos e os animais que vivem na herdade à boleia de uma garrafa de gin gigante que é puxada por um trator.

Os miúdos adoram estas garrafas gigantes.

Aos fins de semana, os seres mitológicos da floresta saem dos seus esconderijos para realizaram um espetáculo único para todos os visitantes da Vila do Gin. “Combinamos os finais de cada dia com uma cerimónia de entrega dos botânicos. Fazemos a recriação de uma destilação através de um espetáculo de fogo”, diz. A pensar novamente nos mais novos, estes seres muitas vezes híbridos fazem uma entrega de botânicos, para que os mais novos possam levar consigo o “coração” do gin.

Para os adultos, as atividades são um pouco mais práticas. Durante a visita pela Vila do Gin, é possível participarem numa espécie de workshop que ensina a fazer o gin tónico perfeito em casa. Podem também passar pelo showroom, onde se pode fazer degustação a vários gins da Black Pig, bem como a vários cocktails onde o gin é, claro, o destaque. E como uma bebida fica melhor acompanhada, podem-se provar também as tapas que o espaço oferece.

A entrada na Vila do Gin é gratuita, mas algumas destas atrações são pagas. A visita à destilaria custa 5€. Já o showroom custa 37€ (para duas pessoas). O Trilho do Gin e o Gin Safari são gratuitos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT