Gourmet e Vinhos

Há uma cidade italiana que quer proibir gelados depois da meia-noite

A medida pode entrar em vigor já em meados de maio e deverá durar até novembro.
Más notícias.

Um gelado sabe bem a qualquer hora do dia, principalmente nos meses de verão — mas há uma cidade italiana que está a propor uma lei, à primeira vista, um pouco caricata. Milão quer proibir os gelados depois da meia-noite para proteger a “tranquilidade dos residentes”.

Quem já visitou Itália sabe que comer um gelado à noite faz parte da cultura italiana, uma tradição que agora está em perigo. O governo local apresentou um documento que, se for aprovado, poderá levar à proibição dos gelados a partir da meia-noite já em meados de maio, segundo avança a “Sky News”. A proibição durará até novembro.

Além dos gelados, a proposta proíbe a venda de outros alimentos, como pizza e bebidas, com o objetivo de diminuir os grupos barulhentos que se aglomeram nas ruas da cidade italiana, mantendo os residentes locais acordados durante a noite.

“O objetivo é buscar o equilíbrio e o entretenimento, e a paz e tranquilidade dos moradores”, referiu Marco Granelli, vice-presidente de Milão. Caso avance, a medida estará em vigor entre a meia-noite nos dias úteis e pelas 1h30 da madrugada nos fins de semana e feriados. A lei seria aplicada apenas nas áreas de Nolo, Lazzaretto, Melzo, Isola, Sarpi, Via Cesariano, Arco della Pace, Como-Gae Aulenti, Porta Garibaldi, Brera, Ticinese e Darsena-Navigli.

Esta já não é a primeira vez que Milão tenta proibir os gelados a altas horas da noite. Em 2013, o autarca local, Giuliana Pisapia, tentou implementar medidas semelhantes, mas a população não gostou da ideia e não chegou a avançar.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT