gourmet e vinhos

O casal apaixonado por chocolate que faz bombons artesanais em Lisboa

Têm recheios criativos, como o de café com pó de ouro, praliné de avelã com chocolate branco, ou figos com vinho do Porto.
São 9 as opções disponíveis.

A história da Gota, a nova marca de bombons artesanais de Lisboa, começou oficialmente no final de julho, quando o casal Marta Pinto, 31 anos, e Tiago Rodrigues, 35, colocou à venda os primeiros chocolates. Ainda assim, é preciso recuar seis anos para perceber que esta era uma ideia que já pensavam, a de um projeto próprio e com um conceito artesanal.

“Inicialmente não tínhamos espaço suficiente na nossa casa arrenda pelo que, assim que conseguimos adquirir a nossa própria casa, tivemos em atenção alguns pormenores que sabíamos que iriam ser cruciais para colocar em prática este projeto, tal como uma bancada de cozinha central em pedra, para podermos trabalhar o chocolate”, explicam à NiT.

São doidos por chocolate, admitem mesmo que podiam comer todos os dias, por isso quando falaram na criação de algo juntos tinha de ser à volta deste produto. “Ambos sempre adorámos chocolate e sempre achámos fascinante todo o processo por detrás da criação de um simples bombom. Apesar de Portugal não ter tanto o hábito de consumir tanto chocolate como a Bélgica ou a Suíça, queríamos tentar incutir uma experiência gastronómica o mais rica possível.”

Tiago tem formação na área da cozinha e pastelaria. Chegou a trabalhar em restaurantes de Lisboa, como o Tavares Rico ou o Mensagem, do hotel Lisboa Pessoa. Já Marta é mestre em arquitetura e já estive em vários países, como China, Japão, Itália ou Polónia.

“Este projeto surgiu devido à necessidade de darmos a volta por cima com a crise da pandemia. Decidimos então arriscar e colocar em prática.” É na casa onde vivem atualmente, nos Anjos, no Bairro das Colónias, que fazem toda a produção. “Trabalhamos com produtos de excelente qualidade e premium, frescos e de todo o mundo, como a flor de sal, o açafrão em rama, o pó de ouro e a baunilha de Madagáscar.”

São vendidos em caixas de 6 unidades.

O chocolate é a única coisa que não fazem de raiz. Trabalham com um produtor belga. Já os recheios são todos eles preparados. “Desde o tempero do mesmo até à criação dos recheios, equilíbrio de sabores e estética final dos produtos.”

Muitas das variedades que apresentam chegam de produtos da época, como o morango, o maracujá, o coco e o figo. “Tentamos trabalhar com o máximo produto fresco nacional possível, acrescentando o nosso twist.” Neste momento são nove os bombons que têm disponíveis. São vendidos em caixas de seis sortidos por 10€.

Tem o Bica, com chocolate negro 70 por cento, com recheio cremoso de café e finalizado com um grão de café e pó de ouro; o Clássico, com chocolate negro 70 por cento com ganache de leite 33,6 por cento, feito com morangos frescos; o Caramelito, com caramelo salgado e flor de sal; ou o Ficus, com chocolate negro, figos e redução de vinho do Porto.

“O cliente português está habituado aos bombons mais tradicionais e nós queríamos fugir destas tradições e enveredar por um caminho inusitado, de descoberta e explosão de sabores. Queremos dar a conhecer ao público, novos produtos que fazem parte da alta gastronomia, combinados com um dos melhores chocolates belgas.”

Os pedidos são feitos por mensagem privada no Instagram ou no Facebook, mas também por email gotachocolatelda@nullgmail.com. As entregas são feitas por Lisboa, mas é sempre necessário combinar com os responsáveis.

Um dos próximos objetivos da marca passa por criar uma loja na cidade, mas também fazer o delivery em segurança do produto. “O grande próximo objetivo será abrirmos o nosso próprio espaço físico. De forma a podermos alcançar um público mais abrangente e dar a conhecer a nossa marca e as nossas criações únicas. Pretendemos conseguir arranjar um parceiro em breve que nos permita alargar as entregas mais facilmente.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT