Gourmet e Vinhos

O prato Michelin que pode saborear por menos de dois euros

Quando a street food se junta à melhor culinária.
Uma pechincha de iguaria.

Não é preconceito. Quando pensamos em estrelas Michelin, é fácil de imaginar uma combinação entre um serviço de luxo, uma cozinha de autor e um lugar onde À mesa também se serve um certo prestígio. E como é natural o preço refletirá isto.

Desde que os irmãos André e Édouard Michelin começaram a publicar o guia Michelin no início do século XX, o guia ganhou estatuto e passou também a emprestá-lo a muitos chefs. Há um antes e um depois de uma primeira estrela Michelin na cozinha de um restaurante.

Ainda assim, o principal luxo que o guia continua a querer destacar, é o mesmo desde os primórdios: o que se serve à mesa. É por isso que há algumas raridades especiais no guia. É o caso de uma pérola que começou em Singapura e que hoje em dia já está em mais alguns lugares.

Singapura é um lugar onde a street food se serve em abundância e foi lá que, em 2016, o guia Michelin descobriu (e revelou ao mundo) Chan Hong Meng, o responsável pela Hawker Chan.

Esta banca de street food asiática não é uma qualquer. Tornou-se conhecida como o restaurante Michelin com o prato mais barato do mundo. Falamos de uma combinação comum por aqueles lados do globo à qual Chan Hong Meng deu outro estatuto: galinha de soja com arroz. Quem conseguir enfrentar as longas filas que o espaço habitualmente tem, pode ter o privilégio de provar um prato Michelin que custa apenas €1,90.

O prato está um pouco mais caro do que quando se tornou célebre (chegou a custar €1,30) mas a ementa dali continua a ser super acessível. O próprio chef sempre disse que não queria aumentar os preços só pelo prémio. A subida nos preços da ementa acompanhou a inflação e o encarecimento de alguns produtos.

No Hawker Chan é possível encontrar diferentes combinações com o mesmo prato de galinha. A versão mais cara, pode custar cinco vezes mais que o prato base, inclui uma galinha inteira e pode ir até aos 16 dólares de Singapura. São 10€, entenda-se. E a mesma estrela Michelin.

Chan Hong Meng tinha apenas 15 anos de idade quando abandonou a sua Malásia natal, onde crescera como filho de agricultores, para viver em Singapura. Sempre trabalhou no ramo até conseguir abrir a sua banca. Foi em 2009 e chamava-se Liao Fan Soya Sauce Chicken Rice & Noodle.

Com o nome mais curto, a Hawker Chan explodiu com a estrela Michelin sem perder o seu espírito de street food. Hoje em dia servem cerca de 150 pratos de galinha ao almoço por dia. A estrela Michelin continua a ser sua desde então.

O prémio foi um daqueles sonhos com que o próprio não sonhara. Em entrevistas, Chan contou na altura que achou que estavam a brincar com ele. O representante do guia lá lhe teve de explicar que o guia avalia comida, não o espaço.

Hoje em dia continua funcionar o espaço original em Singapura mas a cidade conta com mais duas bancas onde servem a mesma receita de galinha de soja com arroz. Em parceria com a Hersing Culinary, já abriram mais seis franchises noutros países: Austrália, Taiwan, Filipinas, Cazaquistão, Tailândia, além da Malásia onde Chan nasceu.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT