Gourmet e Vinhos

O tinto alentejano que vende meio milhão de garrafas por ano. Custa 1,79€

Com produção em Reguengos de Monsaraz, de certeza que já passou várias vezes por este rótulo nas prateleiras do Continente.
Um vinho para todas as ocasiões.

Quem diz que o tinto só no tempo frio, certamente não conhece bem os vinhos tintos que se produzem em Portugal. E uma opção tão boa nesta linha, para servir até no sol mais quente do verão, só podia vir do Alentejo, mais concretamente de Reguengos de Monsaraz.

O Contemporal Regional Alentejano Tinto 2022 é uma surpresa para os fãs da região, capaz de aliar a melhor qualidade a um preço super acessível. Neste momento, graças a uma promoção do supermercado Continente, está à venda por apenas 1,79€ — o preço habitual é de 1,99€.

“Reflete bem o que foi este ano no interior do Alentejo, caracterizado por maturações lentas. Foi um ano mais voltado para a produção de vinhos com elegância do que propriamente elevadas concentrações. Desse ponto de vista, o casamento entre a fruta vermelha e preta das castas Aragonês e Castelão, casa muito bem com as notas mais frescas, vegetais, da Trincadeira”, explica Rui Veladas, diretor de produção da Carmim. 

Assim, é normal que a marca Contemporal veja de novo um vinho a ser distinguido entre tantas opções. Este vinho recebeu a medalha de prata no concurso Uva de Ouro, um prémio que distingue a produção nacional que está democraticamente disponível para o público nos supermercados Continente.

“Temos um vinho muito característico alentejano, com uma boca muito macia e um tanino muito nobre da casta Trincadeira a ligar todo o conjunto”, acrescenta Rui Veladas.

Durante as refeições, à mesa, é preciso saber fazer as combinações certas. Apesar de acompanhar bem carnes vermelhas — é um tinto, pois claro —, este Contemporal destaca-se também com pratos de carnes brancas. Além disso, a tal frescura é ideal para equilibrar queijos e enchidos numa entrada tipicamente alentejana.

Este vinho surge da parceria com a Carmim, uma Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz, criada em 1971, que hoje conta com cerca de 800 associados e mais de 600 prémios angariados. Além da qualidade da matéria-prima, esta possui uma das tecnologias mais avançadas da Península Ibérica, ao nível da produção e engarrafamento de vinhos.

Um vinho de 2022.

Áudio deste artigo

Este artigo foi escrito em parceria com o Continente.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT