Gourmet e Vinhos

Oishii: o misterioso caso dos morangos mais caros do mundo. Cada unidade custa 4€

Eram cultivados só no Japão, mas este ano passaram também a ser produzidos nos Estados Unidos. Os chefs Michelin adoram-nos.
Os morangos são vendidos em caixas especiais.

Os Oishii são tratados como verdadeiras estrelas dentro da comunidade dos morangos. Apenas são vendidos em caixas com seis ou doze unidades e nada de estarem amontados uns em cima dos outros. O fruto é acondicionado de forma a estar numa espécie de berço individual. Esta é uma variedade japonesa bastante procurada por chefs Michelin.

A marca foi lançada pela primeira vez em 2018 e rapidamente chamou a atenção de cozinheiros de todo o mundo. São mais doces e aromáticos do que qualquer outra variedade, duas características que tornaram o fruto bastante apetecível.

As tais caixas com apenas 12 unidades chegavam a estar à venda em supermercados nos Estados Unidos por 47€. Este ano, a empresa deixou de fazer produção apenas no Japão e criou uma zona de cultivo em New Jersey, nos EUA. Desta forma, com um aumento de produção, o preço baixou ligeiramente para os 20€ por embalagem. Continuam, ainda assim, a ser dos mais caros em todo o mundo.

Segundo a Fast Company, esta área de produção tem mais de seis mil metros quadrados. É num ambiente tipo de estufa que são cultivados. A iluminação é específica e até contam com algumas abelhas que ajudam a fazer a polinização.

A tecnologia usada permite que se gaste menos 60 por cento de energia e 40 por cento menos água nesta produção em New Jersey. Uma antiga fábrica da Anheuser-Busch, que produz bebidas e cervejas, foi totalmente transformada para receber esta plantação de morangos da Oishii.

O objetivo do espaço é recriar o ambiente do sopé dos Alpes Japoneses, onde a produção foi originalmente criada. Segundo o “Insider”, Hiroki Koga, diretor da Oishii não gostou da qualidade das frutas americanas e por isso trouxe as sementes até ao país.

A produção conta com vários equipamentos de inteligência artificial que monitorizam vários elementos e os picos de maturação da fruta quando estão em condições de serem colhidos. Além da humidade controlada, estas estufas recriam uma brisa fresca e até a chuva leve que costuma cair no sopé dos Alpes Japoneses.

“Os agricultores da Oishii são treinados em métodos de cultivo de morango cuidadosamente desenvolvidos ao longo de décadas. As práticas agrícolas produzem uma receita ambiental perfeita para garantir que os morangos sejam saudáveis ​​da semente à baga”, continua Hiroki Koga.

Restaurantes Michelin, como o Atomix e Sushi Ginza Onodera, ambos em Nova Iorque, são apenas dois dos que usam os morangos da Oishii no menu. Com este aumento de produção, vão passar a ser encontrados nos supermercados da Whole Foods a preços ligeiramente mais reduzidos. Ainda assim, continua a ser um produto de luxo.

O plano para os próximos tempos já está traçado. “Vamos construir instalações próximas a todas as grandes cidades nos Estados Unidos. Não pretendemos ter apenas uma instalação central de onde enviamos para todo o país. As novas estufas estarão sempre a poucas horas de distância de carro de qualquer uma das cidades para as quais queremos fornecer.”

A produção é feita num ambiente controlado idêntico aos Alpes Japoneses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT