Gourmet e Vinhos

Parar é morrer. Fáfá, a brasileira que aos 58 anos decidiu abrir um negócio de catering

Veio para Portugal em 2018, à procura de uma vida melhor. Criou o Aqui se Faz com muitos pratos brasileiros e cocktails únicos.
Os cocktails estão quase a entrar em formato de delivery.

Desde cedo que Fáfá Figueiroa, agora com 62 anos, nutre um enorme carinho pela cozinha. Este afeto teve dois grandes impulsionadores: a mãe, nascida numa época em que as mulheres passavam grande parte do tempo naquela divisão, e Fernando de Lamare, o patriarca de uma “família tradicional do Rio de Janeiro”, que contratou Fáfá para trabalhar com ele.

“Ele já estava aposentado e, com os amigos, criou um restaurante de saladas que virou moda”, conta Fáfá à NiT. Tinha apenas quatro mesas e a fila de espera estendia-se por 200 metros e “dava a volta ao quarteirão”. Tamanha popularidade justificava-se, em parte, pela localização: era mesmo ao pé da praia e muitos banhistas iam lá almoçar. As saladas deliciosas também ajudavam, claro.

“Com o Dr. Fernando aprofundei os conceitos de cozinha. E foi com ele aprendi a vender e a comercializar os produtos”, acrescenta. Fafá tinha um papel bastante relevante no negócio: era ela que comprava os produtos, dirigia o estabelecimento, montava a carta, contratava e formava os novos funcionários. “Foi uma grande escola para mim”, recorda. Antes disso, quando era mais jovem, tinha trabalhado em lojas, numa altura da vida em que tentava encontrar o seu caminho profissional.

Mudou-se do Rio para Lisboa em 2018. Veio com o marido à procura de uma vida melhor, mais segura e tranquila, longe de um “presidente louco”. Fáfá é uma daquelas pessoas que não gosta de ficar parada, e começou imediatamente à procura de algo para fazer. “Vi uma oportunidade no negócio do catering, sentia que existia uma necessidade em relação a este tipo de serviço.” Começou por apresentar os pratos que preparava na sua conta de Instagram, a Aqui se Faz, que é também o nome da marca que desenvolveu.

Os pedidos não tardaram a chegar, graças aos amigos brasileiros que já tinham vindo para Portugal e que partilharam o seu projeto. Passou a fazer eventos corporativos, sociais e familiares — e até hoje nunca mais parou. Tinha 58 anos quando arrancou com o negócio, “mas uma cabeça de 30”, brinca. Queria trazer a gastronomia com que cresceu no Brasil para o nosso País, e não havia proposta melhor do que a feijoada brasileira.

“As pessoas amam feijoada. Normalmente é um prato muito pesado, com uma grande quantidade de gordura, porco, um tempero forte. A minha versão tem carnes nobres mas não fica pesadíssima”, revela. É muito popular especialmente durante o inverno, quando os dias são mais frios e só nos apetece comer algo quente e reconfortante. Também faz outros pratos típicos do Brasil, como a moqueca de camarão. Por enquanto, ainda os serve apenas nos eventos em que faz catering, mas antes do inverno começar quer acrescentá-los ao menu delivery que trará várias outras novidades.

A par das especialidades tradicionais, o Aqui se Faz também vende bebidas preparadas por Fafá. Após muito estudo e pesquisa, criou cocktails que vêm em garrafas. “Fiz um kit que mandei para vários amigos e eles divulgaram. Fizeram muito sucesso nas redes sociais. Todos ficaram encantados com o conceito”, conta com entusiasmo. É como se tivesse um bar em casa porque, como sabemos, fazer um cocktail, embora simples, requere vários ingredientes e diferentes bebidas.

Por enquanto tem duas propostas. Para começar, quis apostar no Negroni uma bebida italiana que existe desde o século XIX e que tem muitos fãs no mundo inteiro. É uma mistura de três bebidas: campari, martini e gin. “É para quem gosta de beber em casa”, brinca. Tem, contudo, uma diferença da versão a que estamos habituados. Embora tenha o mesmo sabor, este é feito através de uma infusão preparada numa sala escura durante sete dias. O processo é todo feito por ela, artesanalmente.

Depois, tem o cocktail Comporta, nome dado em homenagem à praia “charmosa” que a conquistou. “É fresco, cítrico e leve”, descreve. É semelhante a um Moscow Mule e leva vodka, limão e ginger beer. “Sã feitas numa cozinha partilhada em Parede. Preparo tudo lá, ficam em infusão e depois volto, engarrafo e trago para Lisboa”, aponta. Já em casa, tem um frigorífico onde armazena os cocktails antes de serem consumidos.

Estão disponíveis em dois tamanhos. Uma garrafa de 250ml de Negroni custa 25€, enquanto que o Comporta tem um preço de 25€. A versão de 500ml custa 35€ e 30€, respetivamente. Também ainda não estão disponíveis para delivery, mas poderá encomendá-los através do Instagram de Fáfá a partir de meados de outubro. Por enquanto, está a fazer um rebranding à marca — garrafas vão ter um novo design e novos rótulos.

Carregue na galeria para conhecer alguns dos seus pratos e cocktails preparados por Fafá na Aqui se Faz.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT