Gourmet e Vinhos

Proibição do plástico de uso único em Portugal começa já em julho

Cotonetes, pratos, talheres e palhinhas vão mesmo começar a sair de circulação.
Um problema com mudanças à vista.

O princípio do fim dos plásticos de uso único já tem data marcada em Portugal. A notícia é avançada pelo “Público” na sua edição de sexta-feira, 4 de junho.

De acordo com o jornal, o decreto-lei que transpõe para a lei nacional a directiva da União Europeia sobre o fim dos plásticos de uso único está em discussão pública, mas prevê-se que entre em vigor a 1 de julho. Se entrar, os cotonetes, talheres, pratos ou palhinhas de plástico deixam nessa data de poder entrar no mercado — tal como varas para balões, agitadores de bebidas, recipientes para alimentos e bebidas de poliestireno expandido e qualquer produto feito de plástico que se degrada através da oxidação, que leva à fragmentação em microplásticos.

Nos espaços de restauração e bebidas e transportes coletivos, a disponibilização e utilização de todos estes produtos é apenas proibida a partir de setembro de 2022.

Para já, copos para bebidas ou recipientes para alimentos destinados ao consumo imediato ficam de fora, mas o governo pretende que, até ao final de 2026, haja uma redução do consumo destes produtos em 30 por cento face a 2022, valor que deverá chegar aos 50 por cento até ao final de 2030. É ainda pedida uma aposta constante em soluções e alternativas para o uso dos plásticos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT