Gourmet e Vinhos

Qsf: o vinho Que se Foda está de volta, em abecedário e para levar no pacote

A referência está novamente disponível para encomendas num pack com nove garrafas: quatro de tinto, três de branco e duas rosé.
A marca regressa com um novo pack.

Chegou com um rótulo que não pedia desculpas: Que se Foda. O vinho foi um sucesso em 2020 ao esgotar as mil garrafas que se propôs vender. Surgiu como resposta ao ano de 2020, aos sucessivos confinamentos em todo o mundo e às várias restrições devidas à Covid-19. Teve direito a edições de tinto, branco, rosé e verde, uma coleção completa que terminou no verão de 2021. Pensava-se que a história tinha chegado ao fim, porém, quem não conseguiu uma garrafa vai conseguir voltar a encomendar — leva é nove de uma vez.

Francisco Eduardo, um dos responsáveis pelo projeto, desta vez quis efetivamente criar uma marca. O nome Que se Foda não foi aceite, mas optou por algo mais curto: Qsf. “Quando criei o projeto não queria propriamente vender vinho. Queria fazer arte e fazer chegar uma mensagem às pessoas fechadas em casa. Tentei registar a marca Que se foda mas não me deixaram”, começa por explicar à NiT.

“Dizem que é contra os bons costumes. Não concordo, penso exatamente o oposto, que a minha mensagem se traduz numa atitude positiva e esperançosa em relação à vida. Porque a quero manter viva, criei a marca Qsf, para bom entendedor.”

Hélio Adão já estava com Francisco Eduardo desde o início do projeto. A eles juntou-se ainda João Figueiredo, para gerir a empresa recém-criada, e Francisco Luz Ferreira. “Nesta nova etapa, prometemos um produto de qualidade para o corpo e para a cabeça. Acessível e que vos faça sentir, rir, chorar e sorrir. E assim sucessivamente. A nossa mensagem é de esperança e um sinónimo de fé.”

O site voltou a estar ativo com apenas uma sugestão disponível, a que chamam Abecedário Qsf. Custa 89€ e junta nove garrafas, cada uma com uma letra no rótulo que bem alinhadas criam a expressão “que se foda”. Brincam que são uma proposta para levar no pacote, uma vez que não podem ser encomendadas de forma individual.

Desta vez a parceria foi feita com um produtor da zona de Tomar, Santos e Seixo. “O vinho que engarrafámos era um lote que a Santos e Seixo tinha guardado a pensar em fazer algo diferente. Quando lhes apresentámos o Qsf não tiveram dúvidas que seria o projeto certo.”

Neste conjunto vai encontrar nove garrafas: quatro de tinto, da casta Syrah; três de branco, com Fernão Pires; e duas rosé, preparados com Touriga Nacional. As colheitas de rosé e branco são de 2021. O tinto é de 2020. As encomendas já podem ser feitas e as entregas começam a partir de 20 de junho.

Os rótulos são ligeiramente diferentes das referências que foram lançadas nos últimos dois anos. À maiúscula junta-se uma palavra, como se estivesse a ser ditada a alguém. Por exemplo, tem o Q de quá quá, u de uva, o é de ensopado, o s de sexta-feira, ou o f de fé.

Francisco é natural de Aveiro e estudou na escola de Belas Artes do Porto. Já trabalhou, e por vezes ainda o faz, para agências de publicidade. Atualmente, tem uma empresa com outro sócio, o estúdio Eles, onde faz direção de arte para anúncios, design e serigrafias. Também já tinha criado alguns rótulos de vinhos, por isso a experiência não foi inédita.

Em 2021, além dos vinhos, o projeto ganhou outros artigos de merchandising, como canecas, T-shirts e sweatshirts. O conceito teve ainda direito a uma exposição em outubro do ano passado onde se realizou uma prova de algumas das referências.

Carregue na galeria para conhecer 10 grandes vinhos tintos portugueses que custam menos de 5€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT