Gourmet e Vinhos

4 vinhos maravilhosos para acompanhar castanhas — além da jeropiga

Os vinhos fortificados são uma opção mais doce e mais segura num encontro de amigos. Vale a pena ter uma garrafa sempre à mão.
Uma combinação de outono irresistível.

Nunca é tarde para um lanche ou ceia de castanhas assadas acompanhadas por um copo cheio. Apesar de o São Martinho já ter sido festejado, a 11 de novembro, a época deste fruto dura até ao final do ano — e conseguimos encontrar oportunidades para o aproveitar. Em muitas cidades do País, não faltam vendedores ambulantes pelas ruas, que são um aconchego de aroma bem tradicional com que todos crescemos. Mesmo em casa, há quem se aventure a colocar as castanhas no tacho ou no forno, ou na moda mais recente, numa fritadeira sem óleo, umas vezes sozinhas, outras a acompanhar carne.

A verdade é que a castanha é uma ótima opção nutricional. Dez castanhas assadas (84 gramas) fornecem apenas dois gramas de gordura, mas ao mesmo tempo dá-nos 17 por cento da quantidade de fibra necessária diariamente e estão isentas de glúten, segundo o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, da Direção-Geral da Saúde. Este relatório indica ainda que o fruto fornece 36 por cento da quantidade necessária de vitamina C, 21 por cento de vitamina B6 e 15 por cento de ácido fólico.

Claro que falar de castanhas é sinónimo de convívio de um copo de água-pé ou jeropiga a acompanhar. Mas como nem todos os portugueses são fãs destas bebidas — além de que são difíceis de se encontrarem à venda —, a NiT tem quatro sugestões de vinhos licorosos que vão conquistar qualquer pessoa.

Com uma intensidade aromática muito grande, os moscatéis são uma opção para convívios de meio da tarde ou ceia. E combinam super bem com castanhas. As duas sugestões que temos são de Moscatel de Setúbal, claro.

O primeiro é o José Maria da Fonseca 10 Anos Superior, onde o aroma vai combinar na perfeição com as castanhas assadas ou cozidas. Além disso, as notas de casca de laranja, alperce, nozes e mel que o vinho tem, juntamente com o sabor frutado e de tosta são uma boa harmonização com as castanhas. Uma ligação complementada ainda pela erva doce que é sentida ao leve neste moscatel.

Com boca mais presente é o Venâncio Costa Lima Moscatel de Setúbal Reserva Família 10 Anos. Obviamente doce também, este vinho fortificado oferece uma boca densa e um longo final.

O melhor de tudo é que, não sabendo por qual deles optar, pode sempre levar os dois na nova promoção de Natal no Continente. O primeiro vinho está, neste momento, a 11,99€ (o preço de venda ao público recomendado é de 23,99€); o segundo fica por 10,69€ (o preço de venda ao público recomendado é de 21,89€).

Já quem é da equipa do vinho do Porto, há também opções de alta qualidade. O vinhos do Porto Contemporal são um clássico e aqui apresentamos o Tawny 10 anos, com as castas Touriga Nacional , Touriga Francesa , Tinto Cão, Tinta Roriz e Tinta Barroca. Macio e sedoso no paladar, o sabor de figos maduros persiste no final. Nariz rico e elegante, combina aromas de frutos silvestres maduros com delicados frutos secos e madeira fina de carvalho. Pode comprá-lo por 8,49€.

Quem prefere um vinho do Porto mais vinoso e complexo, com aroma de frutos secos como a avelã, o Silval Tawny 10 Anos da Quinta do Noval é uma novidade que vale a pena explorar. Rico e macio na boca, oferece uma estrutura elegante e um final longo e demorado. Também faz parte da campanha do Continente, com 25 por cento de desconto. Ou seja: custa 24,99€ (o preço de venda ao público recomendado é de 35€).

Aprecie um Tawny da forma certa

A NiT quis perceber se faz diferença a forma como bebemos um Vinho do Porto e concluímos que sim. A escanção e educadora de vinhos, Teresa Gomes, conta-nos como o devemos fazer da maneira correta.

“Qualquer Vinho do Porto bebido a partir de um copo de cálice largo, como por exemplo, um copo de vinho branco e o vinho ligeiramente refrescado, sabe sempre melhor. No caso dos Portos Tawny, porque têm um corpo mais elegante (por oposição aos Portos Ruby) devido ao envelhecimento em grandes balseiros, mais o seu grau alcoólico, quando bebidos a 12-14.ºC os aromas e sabores ficam muito mais vivos e presentes. Além de não sentir o ardor do álcool na garganta”, explica.

Carregue na galeria para conhecer melhor cada uma destas quatro sugestões da NiT para acompanhar uma mesa cheia de castanhas.

ver galeria

4 vinhos maravilhosos para acompanhar castanhas — além da jeropiga

Este artigo foi escrito em parceria com o Continente.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT