gourmet e vinhos

Que Se Foda: o vinho viral está de volta com um pack limitado

Existem apenas 100 caixas assinadas pelo criador do projeto. Juntam todas as referências: branco, tinto e rosé.
A coleção junta quatro referências.

Francisco Eduardo terminou a coleção de vinhos Que Se Foda este verão. Depois do tinto e do branco, foi lançado o rosé. Tal como as edições anteriores, limitada a 1000 garrafas, esta versão esgotou em poucos dias. Ainda assim, há uma última hipótese de conseguir as quatro garrafas. Foi lançado um pack com todas as referências. É uma espécie de caixa de colecionador assinado pelo criador do projeto.

“Até parece vinho”, assim se chama o conjunto que está disponível online. Existem apenas 100 unidades disponíveis. “Já tazem um fuinho atás pa penduar na paede”, lê-se na descrição do site. Todas estas referências estão à venda por 160€. Os vinhos foram conseguidos numa parceria feita com a Adega da Azueira, na região de Lisboa, e com a vinícola Vinhos do Norte.

O Que se Foda 2020 é um Syrah de 2017, o primeiro a ser lançado, tem 13,5 por cento de teor alcoólico. Já o Que se Foda o Tinto, que na verdade é branco, junta as castas Fernão Pires e Chardonnay e tem 13 por cento de álcool. O Que se Fora o Campeonato, tem 12 por cento e uvas da Quinta das Minas. Por fim, o rosé tem 10,5 por cento de teor alcoólico. Junta as castas Espadeiro (40 por cento), Touriga Nacional (40 por cento), Padeiro de Basto (15 por cento) e Vinhão (cinco por cento).

As quatro garrafas contam uma história. Uma história que me deu a oportunidade de chegar a um sítio peculiar e especial, onde consigo passar uma mensagem importante de inclusão e ao mesmo tempo usar o meu humor para mandar foder toda a gente. A mensagem geral da obra foi sempre uma, e muito positiva, não desistir, acreditar”, explica à NiT Francisco Eduardo.

O artista plástico desenvolveu este projeto como uma resposta ao ano complicado de 2020. “A ideia veio deste ano que todos estamos a passar. As pessoas estão descontentes com não poderem sair de casa, de não fazer o que faziam. Senti a necessidade de o exteriorizar”, disse à NiT na altura do lançamento da primeira referência.

Francisco é natural de Aveiro e estudou na escola de Belas Artes do Porto. Já trabalhou, e trabalha por vezes, para agências de publicidade. Atualmente, tem uma empresa com outro sócio, o estúdio Eles, onde faz direção de arte para anúncios, design e serigrafias. Também já tinha feito alguns rótulos de vinhos, por isso a experiência não foi inédita.

Este ano, o projeto ganhou ainda outros elementos de merchandising, como canecas, T-shirts e sweatshirts. Depois de uma exposição neste mês de outubro, que teve direito a prova de vinhos, ficaram disponíveis mais alguns elementos. Foi o caso de sacos de pano, caixas de preservativos e posters onde se lê “Que se Foda”.

Carregue na galeria para conhecer 10 grandes vinhos tintos portugueses que custam menos de 5€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT