Gourmet e Vinhos

Sweet Pot Braga: aqui os doces vão num pote até sua casa

Pequeno negócio foi lançado no início de abril e já pensa em abrir uma loja no centro da cidade.
Há sempre novos sabores

A pandemia tem feito quase toda a gente pensar e analisar um pouco a vida. Há quem tenha decidido aprender algo novo, desenvolver um talento, mudar de emprego, passar mais tempo com a família ou até ir viver para outra cidade ou país.

A Sweet Pot Braga nasceu precisamente da conjugação de dois destes fatores. A jurista e advogada Joana Escadas Machado, de 38 anos, passou grande parte dos últimos anos a trabalhar sobretudo com processos ligados a companhias de seguros. Mãe de duas crianças de cinco e oito anos, tentou conciliar a vida profissional e materna quando no primeiro confinamento, em 2020, ficou em teletrabalho.

Rapidamente percebeu que essa era uma tarefa complicada, por isso decidiu dedicar-se aos filhos a tempo inteiro. Com o desconfinamento e o regresso às aulas dos pequenos, retomou o trabalho, mas já numa escala menor e quase só como jurista.

Como tinha algum tempo de sobra e sentia a necessidade de fazer algo que a motivasse mais, decidiu começar a fazer alguns doces e dar a provar a amigos e família.

“Tenho uma paixão por doces, bolos, bolachas e tudo isso desde sempre. Tem sido o meu escape ao longo da vida, mesmo em alturas de exames, por exemplo”, conta à NiT.

Para isso, pensou num conceito que fosse diferente dos já existentes. Não queria apenas ter bolos simples ou de cake design, queria ir mais além. Lembrou-se de uma ideia brasileira de vender bolos e doces em potes ou frasquinhos e começou a desenvolver tudo.

“Em Braga não há nada disto e mesmo na zona norte ou no Porto não encontrei negócios parecidos.”

Encontrou os frascos que queria numa empresa de Marco de Canaveses, desenhou um logótipo e já está a tratar do registo da marca. Tudo isto durante os últimos meses e em pandemia.

Começou a vender ao público no início de abril e o feedback tem estado a ser “muito bom, toda a gente diz que os sabores são maravilhosos e elogiam o facto de não serem sobremesas demasiado doces e ter sempre fruta fresca”.

A prova está à vista pela quantidade de frascos que necessita. Os mais de 100 da primeira remessa já foram quase todos vendidos — sendo que é possível devolver os frascos numa segunda encomenda, se pretender, ficando com um desconto de 0,40€ por unidade. Tem vendido mais de 50 por semana e por isso já voltou a pedir potinhos ao fornecedor, desta vez três mil, já a prever o futuro.

“As pessoas estão mais em casa, não saem tanto e sentem a falta de um docinho, por isso acabam por encomendar sobretudo ao fim de semana e muitas gostam de guardar os potes porque são engraçados e dão para aproveitar para outras coisas.”

Uma das ideias base da criação do pote foi mesmo a questão da higiene, pensando também nas situações “de partilhas de bolos inteiros, em que as pessoas tocam com as mãos e não é tão seguro”. Daí estar disponível para entregar os seus doces para eventos, por exemplo, mesmo que nesse caso sejam fora de Braga.

Cada pote da Sweet Pot Braga custa 4€ ou 5€, conforme o sabor, e é necessário encomendar um mínimo de duas unidades. As entregas são feitas apenas na zona de Braga e se a sua encomenda tiver mais de três potes, não paga os 2€ de taxa de entrega.

Todas as semanas há cinco sabores à escolha, sendo que um ou dois são alterados todas as semanas para ir rodando a oferta e torná-la mais atrativa para o público. Até agora tem havido sabores tão diversos como Delicious Brownie with Milk Cream and Caramelized Nuts, Chocolate Cake with Crunchy Nutella and Cream, Delightful Tiramisu, Banoffee, Salted Caramel, Cream and Speculoos, Walnut and Carrot Cake with Fresh Cheese Creme ou Lemon Cake and Blueberries with Lime Mousse. Tudo receitas próprias de Joana.

As encomendas podem ser feitas através da página de Instagram da marca ou de email (sweetpotbraga@nullgmail.com). Para o futuro, Joana pensa em criar uma loja tipo montra no centro histórico de Braga, sem mesas nem esplanadas, “só com os doces e talvez um café ou limonada”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT