gourmet e vinhos

Trabalhadores do Pingo Doce e Recheio recebem mais de 6 milhões de euros em prémios

Ao todo o grupo Jerónimo Martins distribuiu 20 milhões de euros. Um terço desse valor foi para funcionários em Portugal.
A empresa teve uma subida nas vendas.

No balanço final de 2020, o grupo Jerónimo Martins fechou o ano com vendas superiores a 19 mil milhões de euros, uma subida de 3,5 por cento em relação ao ano anterior. O anúncio foi feito esta terça-feira, 12 de janeiro, no mesmo dia em que foi divulgado um novo prémio para os funcionários. Mais de 6 milhões de euros são para trabalhadores em Portugal.

No País a marca detém as cadeias Pingo Doce e Recheio. No estrangeiro a Biedronka e a Ara são outras das lojas que fazem parte do grupo. Segundo o “Dinheiro Vivo”, a Jerónimo Martins distribuiu perto de 20 milhões de euros aos colaboradores, um terço desse valor, cerca de 6,6 milhões, ficou para os trabalhadores em Portugal.

“Foram doze meses de superação conquistados pelo trabalho dedicado das nossas equipas, especialmente das que trabalham nas lojas e nos centros de distribuição, que deram o seu melhor para servir os consumidores em circunstâncias de grande imprevisibilidade e de fortíssima pressão”, explicou o CEO da Jerónimo Martins,  Pedro Soares dos Santos.

Este prémio era uma intenção da marca que já tinha sido anunciado em outubro. Também no início do ano tinham sido entregues aos colaboradores outros 10 milhões de euros, mas esses relativos aos resultados alcançados durante o ano de 2019, onde a empresa conseguiu lucros de mais de 430 milhões.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT