Restaurantes

Comida e arte à mesa do Oficina

O novo projeto do chef Marco Gomes é um restaurante com muitas obras de arte à mistura. Conheça o mais recente espaço de Bombarda.

“Fuck art, let´s eat”, é a frase iluminada a vermelho pelos néons do balcão colocado à entrada do Oficina. Está riscada a primeira palavra porque neste espaço ninguém quer verdadeiramente que a arte “se lixe”. Muito pelo contrário, até porque esta Oficina se encontra no centro artístico da cidade, a rua de Miguel Bombarda. A instalação luminosa é a primeira de muitas obras escondidas no novo restaurante da cidade. Entre elas, claro, contam-se também as criações do chef Marco Gomes.

O edifício é propriedade do galerista Fernando Santos, que o comprou em 2001, quando por lá ainda funcionava uma oficina de restauro de automóveis. Chegou pela primeira vez a Bombarda há 22 anos, numa altura em que a arte ainda não fazia parte do quotidiano do bairro. Foi ali que fundou a sua própria galeria, que ainda funciona em pleno.

A Oficina serviu primeiro como uma extensão para as exposições organizadas por Fernando. Depois surgiu a vontade de concretizar mais um sonho antigo: abrir um restaurante para satisfazer a paixão pela comida. Mas o sonho ia muito para além da cozinha.

“Não quero ter um restaurante, quero algo completamente diferente, um projeto cultural e gastronómico. Quero que o Oficina seja um ícone da cidade.”

Foi através da lista de contactos que recrutou amigos e conhecidos para concluir o projeto. A decoração ficou a cargo de Paulo Lobo, designer de interiores conhecido pelo seu trabalho em inúmeros restaurantes da cidade. A comida foi entregue a Marco Gomes — antigo chef do Foz Velha e de cuja cozinha Fernando Santos afirma ser um fã incondicional — que acabaria por se tornar num sócio do projeto. E, por fim, artistas como Pedro Cabrita Reis, Filipe Marques ou Jorge Perianes, foram convidados a deixarem a sua marca no espaço.

Na carta, é a carne que está em maioria. A explicação é simples e é dada pelo próprio chef: “Sou transmontano e, como tal, inclino-me sempre mais para a carne do que para o peixe.”

Um assumido defensor da cozinha tradicional, Marco Gomes optou seguir uma “cozinha de conforto”, sempre com o cuidado de emprestar um “toque pessoal” aos pratos tradicionais. A ementa convida a começar a refeição com inúmeras entradas. Há salmão curado em especiarias, mousse de lima e crocante de batata (9,5€), caldo rico de peixes e mariscos em crosta de massa folhada (12€), vieiras frescas na chapa com creme de couve-flor, emulsão de salsa e couve portuguesa (12€) ou favas estufadas com chouriço, ovo escalfado, tomate assado e queijo Terrincha (8€).

Para lá dos pratos principais como a açorda de perdiz vermelha (21€) ou o polvo grelhado com arroz cremoso do mesmo (22€), o chef faz questão de destacar uma das secções da carta onde a base dos pratos assenta nos medalhões de lombo maturado a 30 dias. Cada peça é apresentada em cinco versões diferentes e tanto surge a acompanhar um escalope de foie gras, como coberta de queijo da Serra.

“É uma das novidades diferenciadoras da carta, onde colocámos estes cinco pratos de medalhões, sempre com guarnições e molhos diferentes”, explica o chef do Oficina.

Nas sobremesas, mantém-se o encontro da tradição com a cozinha contemporânea, com a rabanada tradicional a ser servida com gelado de caramelo e redução de vinho do Porto, ou o arroz doce em três texturas: gelado, espuma e a receita de sempre.

A combinação entre arte e gastronomia começa verdadeiramente a revelar-se em janeiro, mês a partir do qual vão ser organizados jantares temáticos, onde personalidades ligadas à cultura serão convidadas para falarem da sua paixão pela comida. E se achava que a arte estava apenas nas paredes, desengane-se. Os artistas também vão dar um toque na cozinha e ajudar o chef a criar pratos especiais que irão integrar a ementa.

Carregue na imagem acima para conhecer o espaço e alguns dos pratos que pode provar.

FICHA TÉCNICA

  • Rua Miguel Bombarda, 282, Porto
    Porto
email
reservas@oficinaporto.com
Segunda a quinta-feira, 19h30-23h. Sexta e sábado, 19h30-0h. Fecha ao domingo.
site
www.oficinaporto.com
facebook
www.facebook.com/oficinaporto/
PREÇO MÉDIO
?

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT