Restaurantes

Os 850 McDonald’s da Rússia foram vendidos a empresário da Sibéria e já não vão fechar

Alexander Govor assegurará condições semelhantes às anteriores aos empregados. No entanto, funcionarão sob um nome diferente.
Vão ter um novo nome.

Desde março que os vários espaços da cadeia da McDonald’s estavam encerrados na Rússia, uma decisão que acabou por custas cerca de 52 milhões de euros por mês à marca. O encerramento inicialmente temporário acabou por ser anunciado como definitivo — a marca norte-americana disse que iria vender todos os restaurantes. Uns dias se passaram, e os estabelecimentos já foram adquiridos por Alexander Govor, que já é proprietário de 25 restaurantes da cadeia na Sibéria.

O negócio foi anunciado esta quinta-feira, 19 de maio, e, segundo a McDonald’s, os espaços permanecerão essencialmente os mesmos, mas terão um novo nome que ainda não foi revelado.

Os trabalhadores manterão os seus antigos postos, em condições semelhantes, durante dois anos. Govor também garante que pagará as rendas e os fornecedores dos 850 espaços da cadeia na Rússia.

Denis Manturov, o ministro russo do comércio, garante que o governo vai prestar “toda a assistência necessária” a Alexander Govor.

Se o negócio for aprovado pelo regulador espera-se que a compra esteja terminada nas próximas semanas, marcando assim o fim de uma era para a gigante do fast food. Não se sabe ainda o valor do negócio.

O primeiro restaurante da McDonald’s na Rússia abriu em plena Praça Vermelha, em Moscovo, a 31 de janeiro de 1990. Na estreia, a afluência de cidadãos russos que queriam provar um hambúrguer foi avassaladora. O primeiro restaurante estrangeiro a abrir na União Soviética após a queda do muro de Berlim,  tornou-se um símbolo da globalização e da abertura ao ocidente do país.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT