Restaurantes

A marisqueira e cervejaria Relento reabriu “com os preguinhos de sempre” — e casa cheia

O emblemático restaurante de Algés estava fechado há 10 meses. Encerrou a 31 de dezembro por problemas de saúde do sócio-gerente.
Fotografia: Mia de Jesus no Unsplash.

Nos últimos tempos, quem passava pelo 10C da Avenida Combatentes da Grande Guerra, em Algés, deparava-se com um cenário invulgar. A histórica marisqueira e cervejaria Relento, que desde 1961 conquistava quem por lá passava com o seu marisco fresco exposto para apreciação no grande viveiro à entrada —, os bifes e os pregos suculentos, estava fechada.

O encerramento, contudo, nunca foi pensado para ser permanente, razão pela qual os 17 funcionários continuaram sempre a receber o salário, garante à NiT José Tomé, sócio-gerente. “Os problemas de saúde obrigaram-me a afastar do restaurante, o que acabou por tornar impossível mantê-lo aberto. Mas sempre quisemos voltar”, explica.

O regresso, que foi sucessivamente adiado por força das circunstâncias, aconteceu realidade esta quinta-feira, 6 de outubro, e não podia ter corrido melhor. “Trabalhámos o dia todo. Servimos bons almoços e bons jantares. Até havia um problema com a rede telefónica na zona, pelo que não conseguimos receber chamadas, o que nos impediu de receber reservas, mas as pessoas apareceram na mesma, porque ouviram falar ou passaram aqui. Não tínhamos anunciado.”

A reação dos clientes não surpreendeu Tomé. “É uma casa com muita história e uma clientela fiel, que ansiava que abríssemos. Primeiro vinham os avós, depois os filhos e agora já chegam os netos.”

Tanto na carta, como no espaço, nada mudou apenas voltaram à lotação pré-pandemia, ou seja, estão aptos a receber 120 pessoas. “Não sentimos necessidade de mudar, porque é o que servimos que conquistou todos os que cá vêm. Mantemos, por isso, além do marisco, os bifinhos e preguinhos de sempre”, conclui.

O espaço passou a ser propriedade das famílias de Carlos e Tomé, há cerca de 30 anos, quando os antigos funcionários decidiram comprá-lo. Atualmente, o filho do segundo, José Tomé, e a viúva e filhas herdeiras do primeiro, que morreu no início de 2021, compõem a sociedade à frente do Relento.

Se é fã de mariscos, leia ainda sobre a Festa da Sapateira, durante a qual poderá comprar este grande crustáceo recheado e um vinho verde, na emblemática Viveiros do Atlântico, por pouco mais de 25€. Carregue na galeria para ver em detalhe esta e outras delícias que pode encomendar.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT