Restaurantes

Adeus Praça Vermelha: a McDonald’s não vai voltar a abrir portas na Rússia

Começou por ser um encerramento temporário, mas agora a cadeia norte-americana acredita que é a melhor decisão para a marca.
Os restaurantes vão ser todos vendidos.

A McDonald’s não irá reabrir os restaurantes na Rússia. Desde março que os vários espaços da cadeia de fast food estão encerrados no país. Aquele que começou por ser um encerramento temporário vai tornar-se definitivo. Em comunicado, a marca anunciou que irá vender todos os restaurantes.

“Esta é uma questão complicada, sem precedentes e com consequências profundas”, explicou o presidente executivo do grupo, Chris Kempczinski, aqui citado pelo “The New York Times”. Tal como outras multinacionais, a McDonald’s optou por congelar toda a operação na Rússia depois da invasão à Ucrânia.

Pouco mais de um mês depois, a empresa anuncia que irá vender os restaurantes e deixar de funcionar no país. A marca conta com 850 espaços, alguns próprios, outros na posse de franqueados. Desta forma, quando todo o processo estiver concluído, deixa de poder ser usado o nome, o logótipo e todos os elementos relacionados com a marca McDonald’s na Rússia.

A cadeia assegurou ainda que os seus 62 mil trabalhadores no país vão continuar a receber os salários até que o negócio fique concluído. “As prioridades passam por garantir que os funcionários da McDonald’s continuem a ser remunerados até ao final da transação e que tenham emprego futuro com qualquer potencial comprador”, continuou Chris Kempczinski.

É impossível ignorar a crise humanitária causada pela guerra na Ucrânia. E é impossível imaginar os arcos dourados a representar a mesma esperança e promessa que nos levou a entrar no mercado russo há 32 anos”, explicou o presidente executivo da cadeia de fast food.

O primeiro restaurante da McDonald’s na Rússia abriu em plena Praça Vermelha, em Moscovo, a 31 de janeiro de 1990. Na estreia, a afluência de cidadãos russos que queriam provar um hambúrguer foi avassaladora. O primeiro restaurante estrangeiro a abrir na União Soviética após a queda do muro de Berlim,  tornou-se um símbolo da globalização e da abertura ao ocidente do país.

“Não foi uma decisão fácil, nem será simples de executar, dada dimensão do nosso negócio e os desafios atuais de operar na Rússia.” Por enquanto, ainda não se sabe quando todo o processo ficará concluído, nem os valores que poderão estar envolvidos. Também ainda não é conhecido o destino da operação na Ucrânia da McDonald’s.

No final de abril, a cadeia de fast food divulgou que com o encerramento temporário dos restaurantes em em território russo perdeu mais de 95 milhões de euros só em comida que não chegou a ser vendida. Nos três primeiros meses do ano, foram pagos mais de 25 milhões de euros em salários aos funcionários da operação na Rússia.

Logo nos primeiros dias após o encerramento dos restaurantes McDonald’s, o país criou uma versão alternativa à cadeia com pão russo, carne russa e picles russos. Inverteram o famoso M dos arcos dourados para se assemelhar com um B.

O fim do funcionamento dos espaços da companhia norte-americana levou muitos russos a armazenarem hambúrgueres da cadeia em frigoríficos e arcas congeladoras de casa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT