Restaurantes

Afinal, as sandes de atum da Subway podem não ter sequer atum

Processo movido por dois clientes nos EUA pode abrir caminho para uma batalha judicial com milhares de queixosos.
Subway defende-se.

A Subway foi alvo de um processo na Califórnia que pode vir a ser uma dor de cabeça para a cadeia de fast-food. O processo que deu entrada num tribunal naquele estado dos EUA alega que o peixe servido nas sandes e wraps de atum não é realmente atum. Na verdade, é uma “mistura” que nada tem a ver com o atum.

O processo a que o jornal “Washington Post” teve acesso acusa a cadeia de publicitar um produto naquele estado norte-americano que não está de facto a vender, ainda para mais recorrendo a uma alternativa cujos custos serão bem inferiores aos que era suposto.

A queixa foi movida por dois clientes, Karen Dhanowa e Nilima Amin, do condado de Alameda, na Califórnia. Os advogados alegam no processo que consultaram um laboratório independente e que as amostras testadas são uma composição “de diferentes misturas que não constituem atum, misturadas de forma a imitar a aparência de atum”.

Não é especificado no processo o que alegadamente haverá no lugar do atum. A cadeia já respondeu que o atum servido não só é atum, como é de origem selvagem. Explica o mesmo jornal que os advogados que estão a conduzir a queixa esperam que outros queixosos se juntem ao processo.

Virtualmente, todos os clientes daquele restaurante em particular, no condado de Alameda, que tenham forma de provar que consumiram uma das opções de atum, após 21 de janeiro de 2017, vão poder juntar-se ao processo.

Fundada em 1965, a Subway é hoje em dia um dos franchises de fast-food mais conhecidos em todo o mundo, com mais de 40 mil restaurantes espalhados por cerca de uma centena de países. Em Portugal, há 21 espaços

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT