Restaurantes

Afinal, os restaurantes do Porto até faturaram menos por causa da Champions League

Com a vinda dos ingleses, os clientes habituais acabaram por fugir da cidade. "A restauração até ficou a perder."
Os restaurantes do Porto foram surpreendidos pela negativa.

Esperava-se que com a final da Champions League no Porto, a afluência aos resturantes da cidade aumentasse consideravelmente. No entanto, a realidade foi totalmente o oposto.

Daniel Serra, presidente da Associação Nacional de Restaurantes (ANR), escreveu uma carta aberta ao primeiro-ministro, citada pelo Expresso, onde informa que “à exceção da restauração na zona ribeirinha, onde se concentraram os adeptos e houve um aumento de consumo significativo, o resto da cidade teve um efeito contrário: a restauração até ficou a perder.”

Face à vinda dos ingleses, muitos portuenses clientes habituais fugiram da cidade, o que mostrou também ser um choque para os empresários, que tinham até reforçado os seus stocks a pensar que iriam ter mais clientela.

Quanto aos britânicos, Daniel Serra diz que “são um público com as suas prioridades, na sua maioria não vieram para usufruir da gastronomia portuguesa, mas para viver o momento desportivo.” O responsável explica ainda que os britânicos não respeitaram as regras impostas pelo governo português, e andaram dentro dos estabelecimentos sem máscaras e sem a devida distância social.

A falta de punição para estes atos desagradou a muitos portugueses, incluindo o presidente da ANR, que refere que “agora, vai ser um problema para os empresários fazer cumprir as regras junto dos portugueses, e tem havido uma indignação do sector devido à dualidade de critérios e a condescendência que houve com os adeptos ingleses.”

Um dos principais pedidos nesta carta aberta é que o governo volte a reconsiderar os horários de funcionamento dos restaurantes, alargando-os das 22h30 para a meia-noite. “Pedimos o que já estava previsto e anunciado para entrar em vigor a 3 de maio, e não se verificou. Perante tudo o que aconteceu, e com todas as incongruências, esperamos que o governo altere agora os horários.”

Na zona do Porto, as quebras das receitas dos restaurantes chegam a bater os 70 por cento. Os mais prejudicados são os estabelecimentos nos centros comerciais, que se veem obrigados a encerrar às 19 horas durante os fins de semana e feriados, altura em que poderiam compensar a faturação pelo resto da semana.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT