Restaurantes

Antigo jogador de futebol entrou no Condado com petiscos, mas manteve os clássicos

O emblemático restaurante de Guimarães foi fundado há mais de 50 anos. Flávio Meireles e o sócio decidiram renová-lo.
Joaquim Martins, Cândido Costa e Flávio Meireles.

Durante 50 anos, o Condado foi um ponto de referência em Guimarães. Às mesas do restaurante, fundado em 1969, era habitual encontrar jogadores de futebol, políticos e artistas em conversas animadas ou debates acesos. O espaço não resistiu à pandemia e fechou logo no primeiro confinamento, em 2020. O encerramento não passou despercebido e muitos vimaranenses lamentaram a perda. Flávio Meireles sentiu-se particularmente impelido pelo sucedido e resolveu agir. O antigo capitão do Vitória de Guimarães juntou-se ao empresário Joaquim Martins para dar uma nova vida ao emblemático restaurante que reabriu a 9 de fevereiro.

A dupla conhece-se desde os tempos em que o médio jogava pelo Vitória de Guimarães e iam almoçar ao Condado. “O Joaquim já me aliciava há anos para entrar num negócio do género. Com a minha saída da direção do clube em 2022 e por confiar no know how que ele tem nesta área, decidi que estava na hora de arriscar. Assim que surgiu a oportunidade deste espaço, não tive dúvidas”, conta Flávio Meireles à NiT.

O plano para o Condado era simples: respeitar o legado histórico, adaptando-o “às exigências dos tempos modernos”. O menu, elaborado pelo chef Diogo Almeida, mantém as propostas que os habituées já conheciam. Porém, decidiram acrescentar uma carta de petiscos, que antes não existia. “Agora os clientes podem provar a emoção de alguns pratos típicos do Minho. É um virar da página, para continuarmos a escrever a história desta lenda de Guimarães.”

A renovação trouxe uma decoração completamente diferente. Apostaram nas linhas mais modernas e em pormenores sofisticados, mas sem prescindir do ambiente acolhedor de antes. Outros elementos que a nova gerência quis manter foi a famosa pintura de Lima, de 1982, que representa Egas Moniz perante o Rei de Castela, e a fachada com mais de 50 anos. “Nisso não tocámos”, adianta Flávio Meireles.

As restantes obras foram profundas, “com paredes deitadas abaixo para reerguer todo o edifício”. A requalificação demorou mais de um ano a concluir e implicou um investimento a rondar os 300 mil euros. O processo moroso acabou por suscitar ainda mais curiosidade nos antigos clientes. Quando tudo ficou pronto, decidiram organizar não um, mas dois dias de inauguração. 

No menu não falta o bacalhau à Zé do Pipo (22,50€), preparado à antiga maneira minhota; o cabrito assado (25€) servido com arroz de forno e o pato confitado. Há ainda filetes de Ppolvo (19,50€) servidos com arroz da horta e risotto de cogumelos trufados (16€). Para quem gosta de marisco, não falta camarão, sapateira cozida, navalheiras ou percebes.

A francesinha especial do lombo (18€) não podia faltar na secção petiscos, assim como o picadinho (14€), os ovos rotos, o cachorro ou hambúrguer à Condado (14,50€).

Para harmonizar com as propostas não faltam cervejas, vinhos de todas as regiões do País, espumantes e champanhes, numa curadoria feita por Joaquim Martins, que é também proprietário do Dan José, na Penha. Para terminar a refeição destacam duas novidades. o crumble de maçã (6€) e a pavlova (6€).

Localizado junto à Alameda do Estádio D. Afonso Henriques, o Condado quer continuar a ser o “primus”, um lugar com história, onde não faltam debates, encontros e boa comida.

“Oferece uma nova experiência, com sabores que desafiam o palato em permanência, numa atmosfera sedutora.”

Carregue na galeria para conhecer o novo restaurante do antigo jogador Flávio Meireles em Guimarães.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. João XXI n.º 329
    4810-242 Guimarães
  • HORÁRIO
  • Quarta e quinta-feira das 12h às 16h e das 19h às 00h
  • Sexta e sábado das das 12h às 16h e das 19h às 1h
  • Domingo das 12h às 16h e das 19h às 00h
PREÇO MÉDIO
Entre 30€ e 50€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT