Restaurantes

As pizzarias portuguesas que foram distinguidas como duas das melhores da Europa

A distinção foi atribuída pela 50 Top Pizza. Foram os únicos estabelecimentos de Portugal presentes na lista.
Ali vai comer as melhores pizzas do País.

Todos os anos, o 50 Top Pizza premeia os melhores restaurantes especializados especialidade italiana pela Europa. É comum aparecerem estabelecimentos portugueses na lista, e a edição de 2022, que decorreu a 13 de maio, não foi diferente. 

Para encontrarem os melhores dos melhores, baseiam-se em vários critérios como a pizza, a qualidade dos produtos utilizados e a forma como os diferentes elementos são combinados, o serviço, a preparação da equipa da sala e a capacidade em apresentar e explicar os produtos, o espaço, o ambiente, a decoração e limpeza, o tempo de espera, a carta de vinhos, a cerveja e a oferta de outras bebidas. Os inspetores anónimos também privilegiam quem utiliza produtos locais e sazonais  — é, portanto, um processo minucioso.

Este ano, o nosso País aparece duas vezes no top 50 dos restaurantes que andam a criar as melhores pizzas da Europa.

Forno d’Oro

O restaurante Forno d’Oro do chef Tanka Sapkota abriu no final de janeiro de 2015 e desde aí já recebeu várias distinções internacionais. Em 2020, no concurso anual 50 Top Pizza Europa ficou em 22.º lugar. E tem sido sempre a subir. Na mais recente edição, que decorreu esta quinta-feira, 13 de maio, o restaurante ficou em 16.º. A esta distinção juntou-se a de Melhor Carta de Cervejas da Europa.

“Sempre que algum dos meus restaurantes conquista um prémio, olho para isso como um incentivo à continuação do nosso trabalho, e ao querer fazer sempre melhor do que ontem”, diz o chef nepalês em comunicado. Acrescenta: “no Forno d’Oro, especializamo-nos em pizzas napolitanas, e essa é uma característica que nos distingue face a muitos outros restaurantes.”

Outro fator diferenciador do conceito é a forma como as pizzas são feitas: o forno aquece até 450 graus e nenhuma fica lá dentro por mais de um minuto. Além disso, e tal como o nome indica, é forrado com pastilhas de folha de ouro.

Veio de Nápoles, Itália, e foi montado peça a peça no restaurante. Pesa nove toneladas e tem uma pedra vulcânica no interior, que permite que se mantenha quente por mais tempo.

O forno é importante, mas o segredo também está na massa. É usado um fermento natural que vem de Itália. É trabalhada durante dez minutos na máquina, descansa outros dez, volta a ser amassada por mais dez minutos e depois repousa uma hora à temperatura ambiente. De seguida, vai a fermentar no frio por 40 horas.

O forno de ouro é o grande destaque.

Arte Bianca

O restaurante Arte Bianca, que tem espaços em Sagres, Aljezur e Arrifana, ficou em 49.º lugar no prestigiado concurso que distingue os melhores restaurantes de pizzas na Europa.

“O reconhecimento neste ranking do 50 Top Pizza traduz o nosso empenho em trazer o melhor deste prato italiano, país de onde viemos para investir em Portugal. Privilegiamos a qualidade da massa, dos produtos sazonais a par de um atento serviço de sala e do conforto do nosso espaço, critérios também tidos em consideração na seleção de restaurantes que fazem parte deste concurso”, explica em comunicado Manuela Mattavelli, fundadora do Arte Bianca.

“Acreditamos que esta distinção vai despertar ainda mais curiosidade por portugueses e turistas que visitam o país para vir conhecer a essência do Arte Bianca e o trabalho, a paixão e o amor que temos pela boa comida e pela cozinha italiana”, acrescenta.

Segundo conta o pizzaiollo do estabelecimento, “a massa é o elemento-chave da pizza”. “O trabalho que temos desenvolvido ao nível das massas-mãe tem sido fundamental para a qualidade do produto final. A nova massa que adicionámos no menu é tão leve que funciona como uma nuvem a suster os ingredientes da pizza”, garante o chef.

Atualmente, o Arte Bianca apresenta quatro variedades em termos de massa de pizza. A Pizza & Massas Gourmet, cuja massa-mãe é fermentada e maturada durante cerca de 72 horas; La Nuvola di Arte Bianca, feito com massa fermentada de alta hidratação, com 90 por cento de água e uma longa fermentação em diferentes temperaturas; as Massas integrais com massa-mãe, elaboradas com farinhas naturais e que seguem uma longa fermentação e maturação natural, com um mínimo de 72 horas e, por último, a Massa sem glúten, uma massa-mãe feita com farinhas naturais após uma longa fermentação (mínimo de 72 horas) e maturação natural.

Têm quatro tipos diferentes de massa de pizza.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT