Restaurantes

Belcanto volta a ser o único restaurante português entre os 50 melhores do mundo

O espaço do chef José Avillez, em Lisboa, garantiu mais uma vez um lugar nos prémios The World's 50 Best Restaurants.
José Avillez é o único chef nacional na lista.

Tal como aconteceu nos últimos dois anos, existe apenas um restaurante português na lista dos 50 melhores do mundo. O Belcanto, com duas estrelas Michelin, do chef José Avillez, é o único representante nacional no ranking dos The World’s 50 Best Restaurants. A cerimónia de apresentação da lista decorreu no Encore Theatre, no Hotel Wynn, em Las Vegas (EUA), na madrugada desta quinta-feira, 6 de junho.

Em 2023, o espaço situado no Chiado, em Lisboa, conquistou o 25.º lugar — tendo sido o primeiro português a alcançar o feito. Contudo, este ano desceu seis posições na tabela.

“Ficámos em 31.º lugar entre os melhores restaurantes do mundo e estamos muito felizes. E muito felizes também pelos nossos amigos do Disfrutar que são o novo número um. Tem sido uma incrível viagem, incrível como há seis ou sete anos estamos nesta lista. Há milhões de restaurantes no mundo, nem sei bem descrever o que é estar entre os 50 melhores. Estou muito feliz”, disse o chef de 44 anos ao “Observador”.

O Belcanto entrou na lista dos 100 melhores em 2018, na 75.º posição. No ano seguinte subiu para o 42.º lugar. Em 2020, a pandemia não deixou que o evento se realizasse e, em 2021, manteve a posição. Em 2022, desceu para o 46.º.

José Avillez apresenta a sua cozinha mais criativa no Belcanto desde 2012, o que lhe valeu a primeira estrela Michelin logo ao final de um ano de trabalho. A segunda chegou pouco tempo depois, no Guia de 2014, e consagrou o restaurante de fine dinning como o primeiro duas estrelas de Lisboa. Desde o início de 2019 que o espaço tem uma nova morada, mesmo ao lado da anterior, junto ao Largo de São Carlos.

Este ano, o pódio do The World’s 50 Best Restaurants tem outras novidades. O primeiro lugar foi para o espanhol Disfrutar dos chefs Mateus Casañas, Oriol Castro e Eduard Xatruch. Substitui o peruano Central, gerido por Virgílio Martinez e Pía León que, depois de 10 anos no pódio, alcançou o destaque. 

O Belcanto

Os pratos do menu criado por chef José Avillez “recriam, reinventam e levam mais além as tradições da cozinha portuguesa” e são levados à mesa do restaurante decorado de forma sofisticada, com referências que vão desde o romantismo do antigo Chiado ao futuro. O preço, contudo, pode deixar alguns mais reticentes. Mas espera-se que a experiência esteja ao nível.

espaço está dividido em três salas: as principais e a Mesa do Chef. Em qualquer uma delas pode pedir um de dois menus de degustação. O Clássico vai desde uma cenoura em diferentes texturas, com leite de pinhão e azeitona, passa pela salada césar de lavagante, a horta da galinha e termina num doce de ovos e limão. Pelo meio, apresenta ainda a pescada e samos de bacalhau de coentrada, o leitão com puré de casca de laranja e alface e o choco. Custa 195€.

“O menu Evolução (225€) ilustra o trabalho que temos desenvolvido ao longo dos anos, desde o início até hoje. Nesta viagem caminhará lado a lado connosco, descobrindo a história do Belcanto e saboreando a nossa evolução permanente”, garantem os responsáveis. Já o menu e o pairing [conjugação] de vinhos pode custar 150€ ou 300€, caso opte pela hipótese de propostas premium.

Também é possível pedir sugestões à carta — as opções extraordinárias vão das entradas às sobremesas. A horta da galinha dos ovos de ouro, com ovo, pão crocante e cogumelos (45€) e o carabineiro da primavera, com caril das cabeças, gel de maçã verde, espargo e coentros (55€) são duas das entradas disponíveis.

Nos principais, entre as opções de peixe vai encontrar robalo com dashi de legumes, algas e liliáceas (75€), pescada e samos de coentrada (75€) e o arroz do Atlântico (95€). Nas carnes, há igualmente três opções. O pombo assado, alcachofra, pastel de massa tenra e molho de canela e avelã (75€) é um deles.

No final, nada melhor do que terminar com uma boa sobremesa. Apostamos que será difícil escolher entre a tarte de maça e ruibarbo (25€), o chocolate, caramelo e cacau fresco (25€), o doce de ovos e limão (25€) ou a tangerina (25€).

Carregue na galeria para ver algumas imagens do Belcanto e alguns dos pratos que pode experimentar por lá.

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT