restaurantes

Bicaense renasceu e trouxe o salero do México à rua da Bica

O conhecido espaço da noite de Lisboa passou a ter uma carta cheia de tacos, quesadillas e margaritas.
A comida mexicana é o foco neste momento.

Nos últimos anos, o Bicaense já passou por várias vidas. Reabriu como bar nos anos 2000 e, em 2019, transformou-se num restaurante de carnes maturadas. E, desde 2021, passou a ser um espaço dedicado à cozinha do México. Tacos, quesadillas e margaritas não faltam e podem ser provados de terça a sábado neste espaço icónico ali na encosta do elevador da Bica, em Lisboa.

“Não existia [na capital] um restaurante mexicano com um chef tipicamente mexicano, com pratos tradicionais desse país e não tex-mex. Conseguimos ter essa comida, um espaço partilhas pelas pessoas e que tem, simultaneamente, um bar. No fundo, era algo que queríamos há muitos anos — e que o Bicaense deixou de ser”, explica à NiT Eduardo Viegas, atual sócio-gerente.

Eduardo já se dedica ao projeto desde 2019: renovou o espaço e reabriu-o — estava fechado desde 2014. Considera-o um dos locais históricos da capital, que ainda tem muito para dar.

“Manteve-se como restaurante de 1959 a 1998 e sempre nas mãos dos mesmos proprietários. Em 1974 desempenhou um papel importante na revolução [de 25 de abril]: era um local onde as pessoas conviviam. A senhoria diz que a ideia da rádio TSF nasceu aqui dentro. Juntavam-se aqui vários escritores e muitos músicos.”

Os tacos, as quesadillas e as margaritas invadiram as mesas do Bicaense.

O menu do renovado Bicaense criado pelo chef Aarón Herrera e com sabores 100 por cento mexicanos é um convite irresistível a entrar no número 42 da Rua da Bica, por onde passa o icónico ascensor.

“Muitas pessoas pensam que a comida mexicana são só tacos. Queremos mudar o conceito que existe da cozinha mexicana em Portugal para passar a ser vista como uma gastronomia inovadora, em linha com a realidade do século XXI no México”, explica o chef à NiT.

O que é que tem mesmo que provar? Os tacos. Muitos são picantes e tem várias opções: de camarão, frango e chouriço. Para entrada peça os totopos com tomate, o guacamole ou mesmo uma quesadilla simples. Esta última pode também ser um pedida como prato principal: seja de camarão, de frango ou vegetariana, com cogumelos no interior. Às quartas, o chef inclui outras criações mexicanas que irão variando dentro de uma lógica semelhante à do prato do dia. 

Este ano, a reabertura do espaço fez-se com o regresso ao ambiente que já ali existiu. “Após o primeiro confinamento, pensámos em transformar o Bicaense não só num restaurante, mas também num bar e para o animar trouxemos alguns DJ que estavam sem trabalho”, conta Eduardo Viegas.

Quartas, sextas e sábados são os dias com música. Confira nesta página no Instagram os nomes dos artistas que passam pelo Bicaense.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Bica Duarte Belo, 42, Lisboa
    1200-057 Lisboa
  • HORÁRIO
  • terça a sábado das: 18:00
  • às: 02:00
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Steakhouse, Bar, Petiscos

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT