Restaurantes

Brinde a este Copo de Mar. No novo restaurante de Lisboa brilham os peixes e mariscos

Não deixe de provar os camarões com ravioli de ábobora e laranja ao molho bisque. Para acompanhar, peça o gin com pitaya.
Fotografia: Francisco Rivotti.

Um administrador de empresas, um designer de interiores e um médico. Todos nascidos no Brasil, de ascendência portuguesa e italiana, chegam ao Campo Pequeno, em Lisboa. O resultado? A abertura, a 20 de agosto, do Copo de Mar, um restaurante encantador que tem os peixes e mariscos, aqui apresentados “com um toque diferente”, como protagonistas. Para isso, dão “tanto valor aos acompanhamentos quanto aos elementos principais” que servem. Apostam, de igual modo, “nas misturas de ingredientes, texturas e sabores”.

Quem o diz é Rodrigo Bogoricin Braga (30 anos), que dirige o projeto junto com Armando Baptista (59), responsável pela conceção do espaço, e o tio Paulo Braga (61), que “sente paixão por doenças genéticas raras e vinhos portugueses”. Este último selecionou as referências com as quais pode acompanhar os pratos disponíveis.

Com o projeto, o trio, que vive em Portugal há seis anos, estreia-se no mundo da gastronomia. “A escolha da restauração deve-se à oportunidade de iniciar negócio num País em que a culinária e o hábito de jantar em restaurantes faz parte da cultura local. A ideia foi criar uma experiência diferente das inúmeras já existentes em Lisboa”, explica o empresário à NiT.

A prioridade é surpreender quem os visita com uma identidade criativa, que se materializa tanto na decoração como no que chega à mesa. “O nosso objetivo passa por extrair ingredientes e elementos de comida e design normalmente encontrados em restaurantes sofisticados, para assim conseguir entregar essa experiência a um maior número de pessoas”.

Com tantas vivências internacionais — Bogoricin, por exemplo, estudou administração em Boston (nos EUA) e morou, posteriormente, três anos em Nova Iorque —, não surpreendem os estímulos exteriores que se notam em cada pormenor deste Copo de Mar.

Destacam-se, desta forma, pela “confeção dos pratos que procuram inspiração diversa para apresentar maneiras diferentes de oferecer uma proposta gastronómica única num ambiente extremamente bem decorado e com excelente serviço”. De Espanha, trouxeram o sofrito, de França, a brandade, de Itália, o riso al salto, e do Brasil, a mandioca e a farofa de banana.

Já o nome surge do poema “Invenção de Orfeu”, que fala sobre Descobrimentos e navegar novos mares, escrito em 1952 poeta brasileiro Jorge de Lima. “A obra tinha uma relação, não só com o conceito do restaurante, focado nos produtos do mar, mas com o fato de estarmos a embarcar neste caminho pela primeira vez”, partilha Rodrigo.

As influências náuticas notam-se também na decoração do 107A da Avenida Barbosa Du Bocage, que parte do design italiano, com o qual Armando Baptista já trabalhou no passado. Sobressaem detalhes como o “aiola, barco tradicional de Sesimbra que está no teto do restaurante”; os “suportes de talher nacionais, com o formato de sardinhas, feitos em cerâmica”; e “as luminárias italianas, criadas especificamente para o espaço”. Estas últimas têm contornos de peixe. O logótipo é feito através da junção de diferentes bandeiras marítimas.

Para escolher os tecidos das cadeiras e das luminárias, em tons de azul, Armando contou com a ajuda da Carlotta Oddone, designer italiana que mora em Torino e com a qual trabalha em diversos outros projetos.

Na hora de fazer o pedido, considere os camarões com ravioli de abóbora e laranja no molho bisque (20€), bem como o peixe do dia grelhado com farofa rica de banana e mandioca na nata (19,5€). Para acompanhar, recomendam o gin com pitaya (9€). “Usamos um gin especial de um pequeno produtor de Estocolmo e colocamos uma fatia de pitaya, que não altera o sabor da bebida, mas dá ao drink um tom rosa/roxo”, partilha o proprietário.

Sobre a carta de vinhos, indica que “foi concebida para contemplar a maioria das regiões vinícolas de Portugal (nove das 14 regiões estão presentes), com uvas identitárias das mesmas”. Dispõem ainda de uma pequena seleção de cocktails, onde usam garrafas de pequenos produtores da Europa. De segunda a sexta-feira, ao almoço, há menu executivo. Custa 16,5€ e inclui prato principal, que muda a cada dia, bebida não alcoólica e café.

Carregue na galeria para espreitar todos os recantos deste Copo de Mar, bem como as especialidades que pode provar por lá.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Avenida Barbosa du Bocage, 107A.
    1050-052 Campo Pequeno
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a domingo das 19h às 23h.
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Peixe, Marisco

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT