Restaurantes

Chama-se DAO e é o novo spot de sushi de Lisboa — mas que só pode comer no sofá

Criado por dois irmãos na confusão da pandemia, promete sushi premium a preços simpáticos, apenas em formato delivery e take-away.
Tem tudo este aspeto delicioso

Era nas casas dos clientes que Sebastião Gallego exibia os dotes de sushiman. E assim foi até ao rebentar da pandemia. As portas das casas fecharam-se e ficou sem alternativa.

Foi quando se socorreu do irmão Salvador e pôs em prática uma ideia há muito fechada na gaveta: criar um restaurante de sushi que funcionasse apenas em delivery e take-away. Assim que a procura explodiu, eles estavam prontos.

Foi nesse formato que, desde a primavera de 2020, geriram o negócio. Uma espécie de soft-opening muito, muito longa. Os pedidos eram feitos, na sua maioria, pelos antigos clientes de Sebastião. Agora, desde agosto, que o negócio ganhou nome, imagem e mais pratos. Nasceu o DAO Sushi.

“Sempre quisemos fazer algo vocacionado para o take-away e delivery. Achámos que havia uma falta de oferta de sushi premium no delivery, onde o sushi mais se assemelha a fast food”, explica Sebastião Gallego, o jovem de 27 anos que comanda a cozinha.

“Damos importância à frescura dos ingredientes.” E disso perceberá ele, que é também pescador amador.

Foi juntamente com o irmão, Salvador, de 30 anos, que começou a trabalhar no negócio que hoje conta com mais dois funcionários.

O objetivo passa por encontrar um meio termo, ter um sushi de qualidade com preços não demasiadamente avultados — embora ligeiramente acima da média para a oferta do delivery —, mas que dê algo mais, seja a nível das embalagens, da confeção, dos detalhes.

O tártaro de salmão

“Focamo-nos no cuidado que temos com o produto e aliar isso a um cuidado extra na imagem, nas embalagens”, explica Salvador, que frisa a vontade de se manterem o DAO neste formato. Criar um espaço físico está, por enquanto, fora dos planos.

Conhecem bem a realidade da restauração. Salvador trabalhou em hotelaria e vários anos no conhecido espaço lisboeta XL, propriedade do pai até há bem pouco tempo. “Não nos apetece muito ter essa vida”, explica Sebastião, enquanto fala do historial de 25 anos de vida do XL.

Se começaram com poucas mãos na cozinha e, consequentemente, um menu mais limitado, hoje ele é bem maior. A base é quase sempre a caixa de 26 peças (22,5€), “ideal para duas pessoas”, a que recomendam que sejam acrescentados dois a três extras por cada par de clientes.

Pode pedir uns Hot Rolls (7€ por oito peças), as gyosas (4€ por quatro peças) ou o tártaro de atum (10€), entre outras opções. Existem, claro, outros clássicos, como os temakis, sashimi, niguiris e ate duas opções de noodles de frango (8€) e tempura de camarão (10€).

As encomendas podem ser feitas das 18h às 22h de quarta a domingo no site. O delivery tem uma taxa de entrega que varia entre os 1,9€ e os 3€, dependendo da distância. Se preferir, pode fazer o levantamento no local, no número 21C da rua Tomás da Fonseca, nas Laranjeiras, em Lisboa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT