Restaurantes

Chegou “o maior hambúrguer do País” — e quem o comer em menos de uma hora, não paga

É o desafio da Brutus Kitchen, a hamburgueria de Cascais que nasceu numa minúscula cozinha do Bairro da Cruz Vermelha.
Aceite o desafio, se tiver estômago

Quando a Covid-19 era um perigo longínquo no outro lado do mundo, Eduardo Manuel desdobrava-se na minúscula cozinha da sua casa no Bairro da Cruz Vermelha. Na praceta à porta do prédio, dezenas de carros esperavam pelos seus pequenos sacos castanhos.

Apitavam, acenavam com dinheiro das janelas e recebiam a sua encomenda com um sorriso. Da janela, o vizinho da frente, agente da PSP, não achava grande piada. “Não caiu muito bem, eu sabia que ele não acreditava que dentro dos sacos estavam hambúrgueres (risos)”, recorda à NiT.

Eram mesmo hambúrgueres e, como indicava a enorme popularidade, eram dos bons. Tão bons que Eduardo sentiu a necessidade de se mudar para uma cozinha maior. Tentou alugar uma cozinha profissional nos espaços da zona, mas recebeu sempre um não como resposta.

Encontrou o tão desejado sim num café perto de casa, onde começou a trabalhar fora de horas. Das nove às cinco, tinha um emprego de escritório numa firma alemã, ele que é formado em Gestão de Recursos Humanos e Investimentos Internacionais. Às 18h30 já tinha o avental colocado e estava pronto a cozinhar os hambúrgueres até às 22 horas.

A parceria não correu bem e acabaria por deixar a cozinha do café. Sem condições em casa para manter o negócio vivo, a produção ficou invariavelmente em pausa. “o fim de três meses, esbarrou no calendário com o Dia Mundial do Hambúrguer.

Eduardo é um apaixonado por hambúrgueres

“Estava sempre a receber chamadas e mensagens de pessoas que tinham saudades e pediam que voltasse a fazer. Decidi, apenas nesse dia, fazer 200 hambúrgueres, todos feitos na minha cozinha”, conta.

Conseguiu juntar 11 pessoas na sua casa que distribuíram as duas centenas de hambúrgueres de Odivelas à Margem Sul. No dia seguinte, fez mais 70, esgotados antes de almoço. Percebeu que tinha que dar o passo seguinte e abrir um espaço próprio.

O golpe de sorte aconteceu quando percebeu que o café onde já tinha cozinhado os hambúrgueres tinha falido. Alugou o espaço e criou o Brutus Kitchen.

“Nunca tive o sonho de ter um restaurante, mas sempre tive o sonho de ter uma empresa minha”, explica o jovem de 24 anos. “Ainda assim, o meu primeiro emprego foi no McDonald’s, sempre gostei de hambúrgueres, implorava sempre à minha mãe para me levar lá.”

O negócio nasceu em setembro e cresceu. Apesar de recordar com humor o primeiro hambúrguer que fez sozinho — “era mau, era mesmo muito mau” —, a verdade é que as suas criações fizeram sucesso, sobretudo a primeira a que chamou ‘o melhor hambúrguer de Cascais”.

O hambúrguer que é “a cara” da hamburgueria aposta uma combinação inusitada de cebola caramelizada e framboesas, “para compensar o doce da cebola”. O outro segredo, diz, está no molho da casa, o Brutus. “Dizem que vai bem com tudo, até com Coca-Cola (risos).”

Existem dez opções na carta, cinco clássicos e cinco “revolucionários”. O mais simples é o Smash (3€), com pão brioche, 60 gramas de carne, cheddar, bacon e molho, que pode ser pedido em versão dupla (4,5€). O célebre Cascais (5,95€) é servido em pão semi-brioche — uma versão menos adocicada —, com 120 gramas de carne, cheddar, bacon, cebola caramelizada em frutos vermelhos, framboesa e o molho Brutus.

O outro lado da ementa aposta na criatividade do WTF Frango (6,5€) com pão brioche, frango panado, molho teriyaki, alface iceberg e tomate ou o Come e Cala-Te (6,5€) em pão brioche, 120 gramas de carne, cordon bleu, alface iceberg, tomate, bacon e molho Brutus.

Se a qualidade dos hambúrgueres é elogiada por todos, foi um desafio inusitado que colocou a Brutus no mapa. E tudo começa no Pesadelo (17€), uma criação em pão semi-brioche que leva cinco hambúrgueres de 120 gramas, dez fatias de cheddar, dez tiras de bacon, cebola roxa e molho Brutus.

O desafio é simples: quem conseguir comer este gigante de 1,1 quilos em menos de cinco minutos, não paga. “Não havia nada do género em Cascais e os vídeos que fazemos tornaram-se virais. Faço sempre um live, acompanho tudo, grito, desmotivo-os. Ficam super engraçados”, conta.

Percebe agora porque lhe chamam o Kamikaze?

O recorde é realmente assustador: o maior devorador de hambúrgueres do Brutus completou o desafio em dois minutos e 55 segundos.

Se a ideia de devorar um hambúrguer gigante não é para si, então tape os olhos, porque Eduardo Manuel já criou o próximo desafio. O novo mastodonte da ementa chama-se Kamikaze, custa 60€ e foi pensado para alimentar duas a três pessoas, “dependendo da fome de cada um”, nota.

Mas, claro, estes 4,2 quilos de hambúrguer vão ser a estrela do próximo desafio do Brutus, que consiste em tentar comê-lo de uma ponta à outra em menos de uma hora. O corajoso livra-se da conta de 60€. “É o maior hambúrguer do País”, afiança Eduardo.

Carregue na galeria para ver mais imagens do Brutus. 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Praceta Dom Diniz 17-B, Alcabideche
    2645-112 Alcabideche
  • HORÁRIO
  • Das 12h às 15h e das 18h às 22h30.
PREÇO MÉDIO
Menos de 10€
TIPO DE COMIDA
Hamburgueria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT