restaurantes

Copper Branch: a cadeia de fast food vegan já chegou a Portugal

O primeiro espaço da marca abriu no Príncipe Real. Em breve vai para o Porto. Tem hambúrgueres e saladas, tudo plant based.
A cadeia chegou em Portugal e só tem produtos vegan.

“A maior cadeia plant based do mundo”, é a assim que a Copper Branch se assume. A descrição está no site português da marca. Por lá lê-se que vai abrir brevemente em Portugal, mas a verdade é que as várias porpostas deste conceito já podem ser provadas no Príncipe Real. A inauguração aconteceu no passado domingo, 21 de novembro. Tem hambúrgueres, saladas e muito mais, tudo 100 por cento vegetal.

“Mais saborosa e amiga do ambiente, a Copper Branch é muito mais que um restaurante. Dos fantásticos smoothies aos deliciosos hambúrgueres e bowls”, explicam numa publicação na sua página de Instagram. O restaurante de Lisboa fica no número 238 da Rua de O Século. Para o Porto já está prometido um espaço para a zona da Trindade.

A marca surgiu em 2014 no Canadá. Depois de vários espaços no país, avançou para internacionalização a partir de 2018. Primeiro nos Estados Unidos e depois chegou à Europa. Conta com nove restaurantes em França e dois na Bélgica.

A abertura em Portugal faz parte da continuação do processo de expansão da marca. Esperam fechar o ano com mais 150 novas localizações e as de Lisboa e do Porto contam para estes números. O conceito é o mesmo e funciona de forma idêntica em todos os países. Não existe serviço de mesa, tal como em qualquer projeto de fast food que se preze.

Depois do pedido no balcão é possível fazer a refeição numa das mesas. Há opções para qualquer altura do dia: para o pequeno-almoço, almoço e jantar. Por norma, é um conceito que se adapta facilmente aos food courts dos centros comerciais. Em Portugal, pelo menos, os dois espaços já conhecidos, dão diretamente para a rua.

O brownie é preparado com chocolate e courgette.

Os hambúrgueres são uma das opções mais procuradas na cadeia. Tem o de cogumelos portobello assado no forno, courgette, cebola caramelizada e queijo vegan; o de feijão preto, sementes de girassol, ervilha e arroz integral; ou o de panado de beterraba com guacamole e alface.

As bowls também ficam bem nas fotos para partilhar nas redes sociais. Pode optar pela Asian Fusion (com edamame, brócolos, feijão, grão de bico e sementes de sésamo); ou pela Asteca (com molho de azeite e manjericão, batata doce, feijão preto, cenoura e sementes de abóbora).

As sandes são servidas em pão ciabatta (adaptado às dietas keto e sem glúten) ou em wraps. Há uma com courgette, batata doce, queijo vegan, cebola caramelizada e molho de manga e outra que junta uns falafels de cenoura, sementes de girassol, açafrão e hortelã fresca.

Para acompanhar tudo isto há smoothies funcionais: com cacau orgânico, morango, espinafres, canela e bebida de soja; ou com framboesa, mirtilo, espinafres coco e bebida de baunilha ou com espinafres, banana, gengibre, limão e sumo de laranja.

Para o pequeno-almoço, os bagels são uma hipótese. Existem vários recheios para pedir: o de alface, tomate e bacon vegan; e o de hambúrguer vegan com cogumelos e tomate, são alguns exemplos. Há também tostas com feijão, azeite, limão e sal rosa dos Himalaias ou o o overnight de aveia com mirtilos e manga.

Nas sobremesas a lógica plant based mantém-se. Tem o brownie de chocolate feito com courgette, mas também um chesecake de forno, ao estilo de Nova Iorque (feito com um queijo não lácteo).

Carregue na galeria para conhecer outros novos restaurantes saudáveis de Lisboa para (tentar) manter a dieta até ao Natal.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua de O Século 238, 1250-095 Lisboa
    1250-095 Lisboa
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Saudável, Vegan

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT