Restaurantes

Genesis. O novo restaurante de Lisboa é o primeiro 100% kosher

O espaço abriu a 14 de março para colmatar a falta de restaurantes que seguem as regras do judaísmo. Há falafel e muito pão pita.
Há muito para provar.

No Genesis não há carne de porco, amêijoas ou caracóis. Este é um dos princípios fundamentais do regime alimentar kosher, ou seja, que respeita os preceitos do judaísmo. As regras kashrut definem o que os crentes podem ou não comer e as misturas que podem fazer para que se alimentem de forma mais “limpa e pura”.

Apesar da certificação judaica, todos são bem-vindos. Shalom Iloz e Karin Iloz, um casal judeu de 37 anos, querem apenas mostrar o quão “deliciosa e interessante” pode ser a comida do seu país natal, Israel.

Os Iloz mudaram-se para Portugal, porque Shalom quis vir atrás das ondas da Ericeira. Após algumas férias a surfar nas águas do Atlântico decidiu que precisavam de recomeçar e partir à aventura. Chegaram à vila portuguesa há seis anos e tudo parecia estar perfeito. O clima era idêntico ao de Israel, as pessoas simpáticas e acolhedoras. Mas depois perceberam que não havia um único restaurante kosher em Portugal. Este detalhe podia tê-los desmotivado a continuar a aventura por terras lusas, mas aconteceu exatamente o contrário.

Karin era chef de cozinha, ele detinha o know-how adquirido nos três restaurantes que abrira em Telavive. Decidiram então que iam ser os primeiros judeus a inaugurar um kosher em Portugal. E assim foi. Começaram com um pequeno restaurante na Estrada da Luz em 2019, que não resistiu à Covid-19. Fecharam-no ainda em 2020, para agora recomeçarem, com mais vontade de cumprir o sonho. E conseguiram. O Genesis abriu no Campo Pequeno, a 12 de março de 2024, como o primeiro restaurante kosher certificado do País.

O nome foi pensado, como explica Karin, em “homenagem ao primeiro livro da Bíblia”. “Este é o nosso recomeço, o nosso primeiro capítulo”, conta à NiT. E antes de abrirem as portas já tinham conseguido a certificação que lhes permite dizerem orgulhosos que são “o primeiro restaurante kosher em Portugal”. O reconhecimento chegou pelas mãos de três rabinos — um de Lisboa, outro de Cascais e um da Europa — que visitaram o espaço e asseguraram que todos os produtos e técnicas usados na confeção cumprem os princípios do judaísmo (incluindo o vinho e a cerveja).

As bebidas são feitas em Portugal. O vinho é produzido Quinta da Boavista, no Douro, segundo as regras do kosher e certificado pelos rabinos. O processo da cerveja foi idêntico. No Genesis têm mais de seis diferentes da Mean Sardine, produzida na Ericeira.

Estas podem acompanhar alguns dos pratos mais típicos do Médio Oriente, que inclui o húmus (11€) de grão com cogumelos, o falafel (6€) servido com pasta de tahine e o shawarma israelita (17€), uma carne desfiada que acompanha com o mesmo molho tradicional. Seja qual for o prato, há sempre pão pita (1,50€), um clássico israelita.

Para terminar a refeição, Karin aconselha a Genesis (6€) um bolo de chocolate regado com cacau quente e servido com morangos. Se preferir algo mais equilibrado, a aposta será no Lotus Secret (7€), um doce de creme de baunilha com bolacha e creme de Lotus caramelizado.

Seja qual for o prato, é certo que segue as regras da Torá, o livro sagrado dos judeus, e que indicam tudo o que é adequado para o consumo. Isto significa que os produtos passam por uma verificação exímia desde a chegada ao restaurante, até chegar ao prato. O objetivo é que seja tudo “saudável e limpo”. No Genesis têm o cuidado de não misturar a carne com o peixe ou com o leite, os legumes passam por uma desinfeção muito cuidada para garantir que não têm qualquer inseto e o fogão deve ser aceso por um judeu. As proteínas também têm de vir de um animal que tenha morrido segundo as leis da Torá.

Além destes cuidados, há outros costumes que ali não de falham. À sexta-feira, como manda a tradição, têm um pão especial, o Challah (2€). Este é normalmente saboreado em família, com pratos típicos. “Temos uma ligação muito grande à nossa terra, por isso trouxemos este costume de Israel. Além do pão também fazemos sugestões especiais. Para nós este dia da semana é como o domingo para os cristãos”, explica a chef.

Esta é também uma forma de se sentirem próximos da família na terra natal. Desde o início do conflito entre Israel e Palestina, que Karin teme pelos familiares e pede “apenas a paz”. “É muito difícil vermos o que está a acontecer. Aqui [no Genesis] ninguém tem feito comentários. Mas nós também não damos margem para isso. Estamos aqui para oferecer boa comida, não gostámos de falar de política”, justifica.

Carregue na galeria para conhecer o novo restaurante kosher em Lisboa.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Campo Pequeno 41
    1000-080  Lisboa
  • HORÁRIO
  • Domingo a sexta das 12h às 23h
PREÇO MÉDIO
Entre 30€ e 50€
TIPO DE COMIDA
Israelita

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT