Restaurantes

Gordon Ramsay já perdeu quase 70 milhões de euros por causa da pandemia

“Tem havido muitas lágrimas. Muita gente no limite”, conta.
Setor vive dias difíceis.

As plataformas de entrega ao domicílio crescem, há cada vez mais opções para comer em casa, mas a verdade é que o mundo da restauração tem sido dos que mais sentiu o impacto da pandemia. A situação é dramática para muitos espaços mais pequenos mas afeta também cheefs de renome.

Gordon Ramsay, o chef Michelin conhecido tanto pelo seu talento na cozinha como pelo seu temperamento de apresentador, não escapa à regra. Numa entrevista recente ao “The Sun” o chef revelou a forma como a pandemia tem afetado as contas do seu império de restauração.

O chef conta com 18 espaços em Londres e outros 17 no resto do mundo. Tinha até planos para abrir mais cinco restaurantes este ano mas esses planos vão ter que esperar. “Só entre 19 de março do ano passado e 3 de fevereiro a receita prevista baixou 66 milhões de euros”, contou o apresentador do “Hell’s Kitchen”.

Só em dezembro, viu “11,5 milhões de euros desaparecerem da noite para o dia” em reservas canceladas, contou. Em dezembro, recorde-se, o Reino Unido entrou em novo período de confinamento depois de os casos terem disparado, muito à conta da estirpe britânica do novo coronavírus, que afetou também outros países, incluindo Portugal.

“Tem havido muitas lágrimas. Muita gente no limite”, revelou ainda o chef sobre o impacto da pandemia no setor. “Eu estou aqui. Desde 1998, quando comecei, que sempre meti dinheiro do meu bolso no negócio. Nunca fui ganancioso, sempre fui generoso. Sou criticado por ser rico mas a responsabilidade que tenho — os ganha-pão em risco — é imensa”, acrescentou.

Gordon Ramsay não tem dúvidas de que o impacto tem sido não apenas onerosos mas também devastador para quem trabalha no setor. O chef tem sido uma voz ativa no Reino Unido na defesa de apoios fiscais para a restauração. Os seus espaços beneficiaram de um desses apoios, que desceu a taxa de imposto para os 5 por cento nesta altura de pandemia, mas está previsto que a 31 de março esse apoio governamental termine.

Ao mesmo jornal, o chef revelou ainda que a pandemia não o abrandou. Além de trabalhar cerca de 12 horas por dia Gordon Ramsay continua a ser obcecado por desporto. Pratica duas horas por dia e nos últimos anos até participou em exigentes provas amadoras de iron man. A pandemia não mudara o ritmo de treino mas a idade e o esforço sim.

Atualmente com 55 anos, o chef contou ainda que lhe foi diagnosticada uma artrite no joelho que o irá obrigar a resguardar-se mais. “Fuck me. Vinha de duas semanas de muletas, depois de ter sido operado ao menisco, fiz uma corrida a puxar e foi doloroso como tudo”. O raio-x que fez identificou o problema. “Sou obcecado com o trabalho e o treino é o meu escape. “Estou um pouco assustado com a ideia de parar mas agora vou ter que abrandar.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT