Restaurantes

Há mais do que ostras e margaritas no bar de Lisboa que veio da Rússia com amor

O nome do Oyster & Margarita – Bulgakov inspira-se na literatura russa e a ementa no mar. O carinho pelo País veio de Moscovo (e começou ainda nos Açores).
Há mais do que Rússia aqui.

Primeiro havia um certo desejo de aventura e mudança, um desejo latente que esperava pelo momento certo. Esse dia chegou quando um casal russo deu por si entre as paisagens da ilha do Pico. Apaixonaram-se e decidiram mudar.

Pável Kiselev e a mulher são os protagonistas desta mudança. Quando tirou o mestrado, Pável começou a trabalhar numa petrolífera russa. A carreira correu bem, levou-o de Moscovo até Genebra, na Suíça, mas com o passar do tempo foi ganhando força a tal ideia de fazer uma mudança de vida.

“Fui de férias com a minha mulher e apaixonámo-nos pela ilha. Decidimos ir numa aventura”, recorda Pável à NiT. “Mudei para Portugal em 2016, para a ilha do Pico”. Abriu um primeiro restaurante, correu bem, abriu um segundo espaço, no Faial. “Eram bons restaurantes e o negócio corria bem mas depois, por razões pessoais, decidi deixar de viver nos Açores”. O casal deixou o arquipélago, mas não Portugal. Lisboa foi a paragem seguinte.

“Cheguei a Lisboa e percebi que era um desafio maior, é uma cidade e um mercado com uma boa dinâmica, há muitos jovens a descobrir a cidade, muitos estrangeiros, tem um grande potencial”. O primeiro desafio foi encontrar o espaço. “Tinha algum dinheiro para investir depois da venda dos restaurantes nos Açores. “Pensava que ia encontrar o espaço, fazer a obra e abrir”. Mas passou quase um ano.

“Estava a chegar um momento em que era preciso tomar uma decisão”. Assim fez e a decisão tomada abriu caminho ao Oyster & Margarita – Bulgakov. “Surgiu o espaço, surgiu o conceito… e depois surgiu a a pandemia”, recorda sobre o desafio ainda maior e mais imprevisível que se seguiu. “É a vida”, afirma sem ponta de mágoa na voz. Abriu finalmente em junho. Estava pronto para abrir um par de meses antes mas a pandemia tinha outros planos.

O local escolhido está no número 28C da Rua da Palmeira, perto do Príncipe Real, a cozinha ainda assim é um pouco mais pequena do que o desejado. 2020, destaca este russo que adotou Portugal, foi um ano “fora do normal”, bastante difícil para o setor da restauração. Ainda assim, admite: “não me posso chatear, temos tido um bom feedback dos clientes”. Estes últimos meses, mesmo com menos turistas na cidade, permitiram ao Oyster & Margarita – Bulgakov encontrar o seu lugar na gastronomia da cidade. “Já temos muitos clientes fidelizados, do bairro” mas também da comunidade russa na cidade.

As ostras são um dos trunfos.

Entre o impacto da pandemia no turismo, mudanças de restrições ao longo do tempo, o horário já foi obrigado a algumas mudanças. Nesta fase funciona aos sábados e domingos das 10 às 13 horas, e de segunda a sexta-feira das 18 horas às 22h30. O horário será alargado sempre que as restrições o permitam.

O conceito de origem é de sea food bar mas serve também alguns pratos de jantar que vão mudando à semana, mantendo o mar como inspiração (isto além da opção vegetariana). “Há clientes que vêm petiscar, pedem umas ostras, um copo de vinho, isto ficará por 8€, 10€ por pessoa. E temos pessoas que vêm jantar. Uma entrada para partilhar, mais um prato e com um, dois copos de vinho, o preço vai andar pelos 20€, 25€ por pessoa”.

“Não é um restaurante russo, nada disso, mas tentei dar um pouco de toque russo ao espaço. É a minha cultura”, diz orgulhoso. “O nome surgiu de um livro do Bulgakov [“Margarita e o Mestre”], em que a Margarita é uma protagonista do livro. Só que para a maioria das pessoas, lembrava o cocktail”. Margaritas e ostras, não por acaso, estão entre os mais pedidos. “Mas os pratos de peixe e de polvo também têm tido muita saída”, além dos vinhos, com destaque para brancos e espumantes de cá. “Trabalhamos com produtoras portuguesas”, conta à NiT. Há também gins, limonadas, kombucha — e sim, ao bom estilo russo, também poderá encontrar vodka (e quando possível petiscar caviar).

O Oyster & Margarita – Bulgakov está no centro da cidade, senta cerca de 14 pessoas no interior e conta com preços acessíveis para uma combinação que muitas vezes junta cocktails e marisco. Ao mesmo tempo, não abdica da qualidade, uma das razões que levou Pável e a sua equipa a evitar a aposta em entregas ao domicílio nesta altura.

De Moscovo até Lisboa, com passagem pelos Açores, o Oyster & Margarita – Bulgakov abriu com uma decoração moderna e elegante, que se nota também na apresentação dos pratos e petiscos. Carregue nas imagens e conheça um pouco melhor o espaço.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Palmeira, 28C, Príncipe Real
    1200-313 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Sábado e domingo das 10h às 13h, segunda a sexta das 18h às 22h30
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Bar

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT