restaurantes

Há uma nova Selllva em Lisboa onde se pode perder (e comer) durante todo o dia

Abriu perto do Marquês de Pombal e tem sugestões de pequeno-almoço, almoço e jantar. Está aberto entre as 8 horas e a meia-noite.
Há sumos naturais e vários cocktails.

Durante seis semanas, Patrícia Marques esteve praticamente sozinha no interior do Selllva, o novo restaurante de Lisboa. Não esteve a preparar pratos, a rever o menu ou a tratar de fornecedores. Foi a responsável por pintar um mural gigante, da autoria de Henriette Arcelin, numa das paredes do espaço com várias referências à selva, claro. Animais, casas, plantas, está tudo lá. As obras tiveram de parar para que conseguisse finalizar o seu trabalho.

O Selllva esteve em soft opening desde o início de dezembro. Terminou esse período esta segunda-feira, 6 de janeiro, com a abertura do espaço também aos jantares. Ali, é possível fazer refeições ao longo de todo o dia. O restaurante abre entre as 8 horas e a meia-noite. Este é o mais recente projeto do Grupo Capricciosa, o 13.º da marca que detém as pizzarias com o mesmo nome, o Otto, o Popolo ou o República da Cerveja.

Ao grupo faltava um espaço como o Selllva, mais urbano com sugestões saudáveis e voltadas para o pequeno almoço. A escolha dos três l’s foi propositada e faz parte da estratégia de comunicação, onde se transformam em garras. Podem ser vistos no néon à entrada, mas também nas fardas dos vários empregados.

O menu de pequeno-almoço chama-se Jet Lag e pode ser pedido até às 18 horas. Aqui tem opções como a taça de fruta com linhaça e amêndoa (7€), o iogurte biológico com compota caseira de frutos vermelhos e granola (7€), as torradas de pão de noz com manteiga e doce (4€), ou as panquecas de aveia com ricota, banana e maple syrup (7€).

A obra de Henriette Arcelin.

Há ainda vários ovos que podem chegar com pão biológico, sem glúten, sempre da Eric Kayser, ou com uma base de batata doce. Tem os ovos escalfados com creme de abacate e molho holandês (8€), ou os estrelados com creme de feijão e tortilhas de milho (7€).

Já o Into The Wild é o menu que fica disponível aos almoços e jantares, que continua com uma vertente saudável. Como entrada tem o húmus de grão e beterraba (3€) ou os crepes vietnamitas com molho asiático (5€).

Nos pratos principais poder escolher entre o burrito de frango com arroz integral, feijão preto, mozzarella, alface e húmus (9€), o risotto de beterraba e cogumelos (11€), chilli de vegetariano (12€), ou o frango assado com feijão preto, creme de abacate, ovo estrelado e arroz integral (12€).

Há várias sugestões para o pequeno-almoço.

Tantos os pequenos-almoços como as refeições para ser acompanhadas com sumos naturais e smoothies com nomes relacionados com a selva. Tem o Mogli, com abacaxi, manga, lima, morango e manjericão (4€), o Simba, de laranja (3€), o Nala, uma limonada com manjericão ou frutos vermelhos (2,80€), ou o Mufasa, com leite, iogurte de coco, banana e sementes de girassol (5€).

Há ainda vinhos e uma carta de cocktails com álcool que podem ser pedidos durante todo o dia — é possível passar pelo Selllva e beber só um copo.

O projeto de decoração é assinado pelo Atelier Anahory Almeida e tem vários apontamentos naturais, como plantas em vários pontos.

O restaurante tem capacidade para 60 pessoas no interior. Durante os primeiros três meses do ano será ainda montada uma esplanada.

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo Selllva.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Mouzinho da Silveira, 32, Lisboa
    1250-096 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Todos os dias do 12h às 23h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Café, Saudável, Vegan

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT