Restaurantes

Irù: o novo japonês intimista de Lisboa só serve 15 pratos e 8 clientes de cada vez

O restaurante situado nas Amoreiras só trabalha com reservas. A experiência tradicional de sushi custa 80€, sem bebidas.
O espaço é super intimista e exclusivo.

Os restaurantes japoneses estão a trocar as salas grandes e ruidosas por espaços intimistas e acolhedores. A decoração é mais requintada e com atenção aos detalhes. O serviço procura ser cada vez mais personalizado e adaptado às necessidades dos clientes e o conceito omakase tem conquistado cada vez mais protagonismo. A expressão aplica-se a restaurantes típicos do Japão onde quem cozinha decide aquilo que os clientes vão comer. O mais recente abriu a 14 de maio, no Jardim das Amoreiras, em Lisboa, e atende apenas oito clientes a cada duas horas.

Pedro Binotti, natural de São Paulo (Brasil) mudou-se para Portugal em 2017 à procura de algo diferente. “Trabalhava no mercado publicitário e estava farto da área. Quando cheguei a Lisboa percebi que o mercado era ainda menor e percebi que não iria resultar. Então decidi dar uma oportunidade a um sonho antigo e fui estudar culinária japonesa para a ACPP”, conta.horas.

Durante a formação, cruzou-se com Miguel Bertolo, que se tornou o seu mentor. Colaboraram em diferentes projetos, de consultoria até eventos culinários. Numa dessas ocasiões conheceu Pedro Lopes, também de São Paulo e com mais de 15 anos de experiência na área. Acabou por contratar Binotti como chef principal do Salta e desafiou-o recentemente a inaugurar um pequeno restaurante, onde o menu é sempre uma surpresa.

“Quando vi o espaço que o Pedro tinha em mente assustei-me. Tinha pouco mais de 20 metros quadrados. Mas acabei por idealizar ali um negócio e ao fim de algumas horas percebi que tinha potencial. Decidimos avançar e abrir o Irù.”

“É um menu degustação fora da caixa, com uma decoração muito própria”, começa por explicar Pedro Binotti, o chef do espaço. “Ao entrar no espaço, o cliente sente que saiu de Portugal, em particular quando inicia a sua jornada culinária.”

Não há menu – os clientes vêm e confiam em quem prepara a refeição. O menu muda todas as noites, variando segundo a estação, os peixes capturados e a inspiração do chef. “Vou todos os dias ao mercado para escolher as proteínas mais frescas. E é ainda lá que escolho o que irei servir na própria noite.”

Um dia pode ser vieira, e no outro camarão. Atum, lírio, pregado e peixe-branco fazem, muitas vezes, parte desta experiência. “Servimos sempre 15 pratos. Esta terça-feira, por exemplo, haverá esparguete de lula com dashi (o caldo base de todos os caldos japoneses) temperado com molho de soja branco. Tem uma explosão de sabores, que serve para despertar o paladar”, menciona Pedro Binotti.

O objetivo é “desfrutar do peixe no seu estado mais puro”. A única constante é a sobremesa final, um sorvete de limão, servido como uma coalhada seca, temperada com azeite e sal. A experiência custa 80€ — ou 120€ com combinação de sakê. Também estão disponíveis vinhos orgânicos, 6€ por taça, e cerveja japonesa, por 5€.

Ao entrar no Irù não espere encontrar uma sala espaçosa e de grandes dimensões. Na verdade, tem apenas 22 metros quadrados e oito lugares ao balcão. Esta escolha, no entanto, proporciona uma experiência única que dificilmente terá em qualquer outro restaurante asiático em Portugal. Existe uma grande interação entre os clientes “que vão sair com novas amizades”. Pode conversar com os vizinhos de balcão e acompanhar todo o processo de preparação do sushi. “Criámos um ambiente de jantar entre amigos em casa. Queremos ser reconhecidos como um local simpático e descontraído.”

O conceito deu origem ao nome. “Irù significa amigo no vocabulário dos povos indígenas do Brasil. Fazia todo o sentido dada a minha relação com o Pedro. E, além disso, foi uma forma de trazer as minhas origens”, revela o chef.

Para jantar tem sempre de fazer reserva – a única forma de aceder ao restaurante, que não está aberto a quem passa na rua. O espaço funciona por turnos. O primeiro começa pelas 19 horas e termina pelas 21 horas, para dar lugar à segunda leva de clientes que se deverá sentar ao balcão às 21h30.

Carregue na galeria para descobrir o novo omakase em Lisboa.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Travessa da Fábrica das Sedas 30 B
    1250-020 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça a sábado das 19h às 00h
PREÇO MÉDIO
Mais de 50€
TIPO DE COMIDA
Japonesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT