restaurantes

Kapitan Ramen Bistro: o novo paraíso para os fanáticos por sopa japonesa

Abriu em Lisboa, na zona dos Anjos, no início de janeiro. Só tem duas variedades do típico prato do Japão e algumas entradas.
Fica na zona dos Anjos.

Um dia inteiro. É este o tempo necessário para preparar o caldo usado no Tonkotsu, um dos ramen do novo restaurante de Lisboa. Por isso, não estranhe se chegar mais tarde para o almoço e vir escrito “sold out” no quadro de ardósia, com a indicação que só umas horas mais tarde é que volta a estar disponível. O Kapitan Ramen Bistro abriu a 13 de janeiro na zona dos Anjos e traz a verdadeira sopa japonesa à cidade.

O projeto é de duas amigas chinesas: Ângela Chen Cheng, 27 anos, e Yukun Zhang, 37. A área da restauração não é nova para Yukun Zhang. Já é responsável por um bistro francês em Xangai, na China. Já Chen Cheng vive desde os 11 anos em Portugal, trabalha como tradutora e teve a ideia de abrir este espaço depois de várias viagens pela Europa.

“Comecei a viajar e a perceber que o ramen podia ser uma boa ideia de negócio. Havia alguma oferta em Portugal, mas ainda há mercado. Achei que podia ser um projeto interessante para avançar”, explica à NiT Ângela Chen Cheng. Começou a falar com amigos e foi Yukun Zhang quem mostrou interesse em entrar no negócio.

Em março de 2019 fizeram uma viagem até ao Japão durante duas semanas. “Quisemos fazer um estudo de mercado e perceber a realidade no país.” Regressaram a Lisboa, começaram a procurar espaços e voltaram mais uma vez ao Japão, desta vez para aprenderem a confecionar a verdadeira sopa asiática.

Há ramen e gyozas neste japonês.

“Fizemos um curso em Yokohama, cidade onde nasceu o ramen. Fomos mesmo à origem.” Optaram por fazer elas próprias a formação e não enviar um chef. “Aqui somos nos que formamos os cozinheiros que trabalham connosco.”

O caldo do Tonkotsu, o tal que demora um dia a ser preparado, é feito à base de ossos de porco. Juntam-se ainda noodles, bambu, alga nori, carne de porco marinada e alguns molhos. Custa 13,15€. “Não estamos a vender apenas uma tigela, mas sim toda uma partilha de histórias.”

O Mazasoba é a segunda versão que têm. Esta é servida sem caldo, é um ramen seco. Custa 11€. Pode ser vegetariano, se for retirada a carne. “Estamos também a trabalhar num caldo à base de legumes, para termos mais opções.”

O restante menu faz-se com outros pratos japoneses. Há gyozas de frango ou vegetais (3,90€), frango karaage, o frango frito japonês (3,50€), edamame (2€), takoyaki (3,90€), um bolo que é uma espécie de panqueca, e tamago (1,90€), a omelete japonesa. Para a sobremesa servem mochi, o bolo de massa de arroz, com gelado.

A ilustração foi feita por um artista português.

O espaço é pequeno. Só tem capacidade para 18 pessoas no interior, mais 10 na esplanada. Durante as obras pediram ao artista português João Maria Ferreira para desenhar uma obra num acrílico que estava na parte de fora do Kapitan Ramen Bistro. Também foi ele o responsável pela pintura que está no interior do restaurante, com ramen, uma gueixa e uma caravela.

Nas primeiras semanas, o espaço apenas esteve aberto aos almoços. Assim irá continuar de terça a quinta-feira. Já às sextas, sábados e domingos passa, a partir desta semana, a servir também aos jantares. Segunda-feira é o único dia em que está encerrado.

Quem manda nisto tudo?

Nome: Yukun Zhang
Idade: 27 anos

Nome: Ângela Chen Cheng
Idade: 27 anos
Convença-nos a visitar este espaço: “Trouxemos o ramen da sua origem.”

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo Kapitan Ramen Bistro.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Jacinta Marto, 1A, Lisboa
    1150-191 Lisboa
  • HORÁRIO
  • De terça a domingo do 12h às 22h
  • Encerra à segunda
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Japonesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT